Publicado 18 de Junho de 2020 - 14h13

Por AFP

O presidente da França, Emmanuel Macron, expressou nesta quinta-feira em Londres a "eterna gratidão" da França ao Reino Unido, em sua primeira viagem ao exterior desde a crise do coronavírus para comemorar o 80º aniversário do chamado à resistência contra os nazistas pelo general Charles de Gaulle.

Macron, que foi recebido pelo príncipe Charles e mais tarde iniciou uma reunião com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, comemorou o pedido de resistência do general De Gaulle contra os nazistas em 18 de junho de 1940 em Londres.

Macron e Boris Johnson abordarão a questão da atual pandemia e as negociações sobre o futuro relacionamento entre o Reino Unido e a União Europeia.

"Queremos conversar" sobre o Brexit, disse o ministro das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab, à BBC.

A visita de Macron ocorre quando o Reino Unido e a Comunidade Europeia esperam intensificar suas discussões para tentar chegar a um acordo sobre o relacionamento pós-Brexit.

Em uma mensagem transmitida pela BBC em 18 de junho de 1940, após sua chegada a Londres, o general De Gaulle pediu aos militares, engenheiros e trabalhadores franceses que o seguissem para continuar a luta contra a Alemanha nazista, apesar da vontade do governo do marechal Pétain de assinar um armistício.

"Aconteça o que acontecer, a chama da resistência francesa não deve se apagar e não se apagará", declarou o general francês, ao final de sua declaração.

De Gaulle chefiou o primeiro governo provisório após a libertação da França em 1944 e foi presidente da República Francesa de 1959 a 1969.

Esta viagem de Macron faz parte do "Ano De Gaulle", por ocasião das comemorações do 50º aniversário da morte do ex-presidente em 9 de novembro de 1970.

A comemoração deste chamado histórico para continuar a luta contra a Alemanha nazista começou pela manhã em Paris, com uma visita ao Museu da Libertação, onde Macron se encontrou com Hubert Germain, de 99 anos, um dos quatro últimos Companheiros de Libertação, a ordem criada por De Gaulle em novembro de 1940 para recompensar aqueles que se destacaram na luta contra os ocupantes.

leb/cf/spe/gmo/eg/mb/mr

Escrito por:

AFP