Publicado 18 de Junho de 2020 - 12h23

Por AFP

Um especialista de arte holandês disse nesta quinta-feira que recebeu fotos recentes de uma pintura roubada de Vincent van Gogh, que ele acredita ser a "prova de vida" do trabalho furtado de um museu durante o confinamento.

A pintura, "Le Jardin du Presbytère de Nuenen au printemps", foi roubada em 30 de março do museu Singer Laren, perto de Amsterdã, então fechado devido à pandemia de coronavírus.

Os ladrões entraram no museu na madrugada, quebrando a porta de vidro, para roubar a obra, que data de 1884, avaliada entre 1 e 6 milhões de euros (1,1 milhão e 6,7 milhões de dólares), segundo a imprensa holandesa.

Apelidado de "Indiana Jones do mundo da arte" por suas façanhas investigativas, Arthur Brand disse que recebeu fotografias da pintura há alguns dias de uma fonte que ele não quis identificar.

As fotos, das quais a AFP obteve duas cópias, mostram a pintura, bem como a capa do jornal New York Times de 30 de maio para provar a data em que foram tiradas.

"Após três meses de intensa investigação, eles me deram essas fotos. Esta é a primeira "prova de vida" da pintura", disse Brand, observando, no entanto, um novo arranhão na parte inferior da pintura.

Uma das fotos mostra o reverso da pintura, onde aparecem a procedência da obra e o histórico de seus proprietários.

"Não tenho dúvidas de que é a obra autêntica", disse o especialista em arte, para quem, com essas fotos, talvez os ladrões estejam tentando encontrar um comprador.

jhe/cvo/thm/mis/mb/mr

THE NEW YORK TIMES COMPANY

Escrito por:

AFP