Publicado 18 de Junho de 2020 - 9h43

Por AFP

Milhares de moradores de Pequim formavam fila nesta quinta-feira (18) na capital da China para fazer o teste do novo coronavírus, após um foco da doença detectado na cidade, mas que segundo as autoridades está "controlado".

O ministério da Saúde anunciou 21 novos casos nas últimas 24 horas na cidade de 21 milhões de habitantes, que eleva o total de contágios a 158 desde a semana passada.

A vida havia recuperado o ritmo normal em Pequim após dois meses sem nenhum caso. Mas a descoberta há alguns dias de um novo foco de infecções provocou um alerta.

A epidemia na capital está "controlada", afirmou o virologista chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Wu Zunyou.

"Isto não quer dizer que não existirão novos casos amanhã. Mas serão cada vez menos numerosos", completou.

As autoridades suspeitam que o grande mercado de Xinfadi, um dos principais locais onde os estabelecimentos comerciais de Pequim compram frutas e verduras, é a origem do novo foco de contágios.

Para evitar o desabastecimento de frutas e verduras, a província de Hebei, ao redor de Pequim, enviou 3.000 toneladas de hortaliças à capital, informou nesta quinta-feira o porta-voz do ministério do Comércio, Gao Feng.

As reservas nacionais também liberaram ao mercado 10.000 toneladas de carne de porco, a mais consumida no país.

As autoridades locais iniciaram esta semana uma enorme campanha de diagnóstico dos habitantes e higienização dos restaurantes.

Quase 30 zonas residenciais, das milhares que integram Pequim, estão em quarentena e todos os centros escolares estão fechados por tempo indeterminado.

Nesta quinta-feira, dezenas de pessoas aguardavam pacientemente na fila diante do Estádio dos Trabalhadores, zona leste da cidade, para fazer o exame de diagnóstico.

Muitos eram funcionários de restaurantes e estabelecimentos comerciais próximos.

"Queria de todas as maneiras fazer o exame e meu chefe disse que todos os funcionários do centro comercial onde trabalho deveriam passar pelo teste", explicou Pang, uma vendedora de 24 anos.

"Não temos muitos clientes no momento, as pessoas estão com medo de sair", disse Wang, cozinheiro em um restaurante, que também aguardava na fila.

Bares e restaurantes do bairro de Sanlitun receberam ordem para fechar as portas e enviar os funcionários para o teste de diagnóstico.

As autoridades municipais recomendaram aos habitantes que evitem as viagens não essenciais para fora de Pequim e determinaram uma grande redução dos voos previstos.

Escrito por:

AFP