Publicado 17 de Abril de 2020 - 18h30

Por Adagoberto F. Baptista

Gilson Rei

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Os supermercados estão fechando o cerco contra o avanço do coronavírus em Campinas. Alguns supermercados do município estão medindo a temperatura das pessoas na entrada das lojas, além de oferecer álcool em gel para higienização dos carrinhos e limpeza das mãos dos consumidores com objetivo de reduzir a possibilidade de contágio do coronavírus.

Outras medidas como o uso obrigatório de máscaras e a proibição de grupos de pessoas – com o limite máximo de dois consumidores em compras conjuntas - começam a ser exigidas, dentro do protocolo de segurança lançado nesta semana pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Estas medidas e outras ações internas e externas dos supermercados integram o protocolo que Abras editou há dois dias orientando todos os estabelecimentos sobre práticas para prevenção do coronavírus.

A medição de temperatura é para evitar que pessoas com mais de 38 graus de temperatura entre no supermercado, pois o estado febril é um indicativo de que a pessoa esteja contaminada por Covid-19, seja assintomática e nem tenha conhecimento. Por ser um risco em tempos de pandemia, a pessoa é impedida de entrar no supermercado.

Nesta semana, a reportagem do Correio Popular identificou a medição de temperatura em lojas do Supermercado Galassi, ao lado da Igreja Santo Antônio, no bairro Ponte Preta; do Atacado Assaí da Senador Saraiva, no Centro; e do Carrefour Bairro Norte Sul, no Cambuí.

João Galassi, vice-presidente da Abras, explicou que a intensificação da higienização dos carrinhos e cestas de compras já estão sendo largamente observada, assim como medidas importantes na entrada das lojas, como a disponibilização de álcool gel e até de pias para os clientes lavarem suas mãos. “Os bebedouros, por exemplo, foram retirados por ter um risco maior de contágio”, exemplificou.

Outras medidas a serem adotadas pelo protocolo são a suspensão das degustações promocionais e a limpeza constante dos sistemas de ar-condicionado. Os estabelecimentos devem também fazer adaptações nas áreas de açougues e padarias e disponibilizar higienização para os funcionários, além do uso de máscaras.

O controle de aglomeração nos estabelecimentos prevê regras de regulação do fluxo de clientes. De acordo com análises de aglomeração nas lojas, a Abras recomenda a permanência de uma pessoa por 12 m2 de área de vendas. Ou seja, se uma determinada loja possuir 1.200 m2 de área de vendas, ela poderá manter até 100 clientes em circulação.

A limpeza constante nos estabelecimentos em todos os grupos e redes foi destacada por Galassi. “Dentro das lojas, destacam-se a constante limpeza dos check-outs e pisos, disponibilização de álcool gel, a marcação de distância segura nas filas dos caixas e a instalação de painéis acrílicos nos check-outs, medidas que proporciona mais segurança para clientes e funcionários”, afirmou.

O protocolo da Abras define também que haja o mapeamento dos principais pontos de contato

do público para que a rotina de higienização possa ser reforçada em cada um deles. “A limpeza é a principal arma para enfrentar o Covid-19”, disse Galassi. “Os locais mapeados são, por exemplo, os carrinhos e cestos, as áreas de compras e os estacionamentos que utilizam cancelas”, comentou.

No protocolo, todos os supermercados devem limpar constantemente os corrimões, banheiros, maçanetas, check-outs, terminais de pagamento, teclado dos operadores, caixas eletrônicos, elevadores, puxadores de freezers, geladeiras e balcões refrigerados, além de mesas e cadeiras das praças de alimentação.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista