Publicado 17 de Abril de 2020 - 10h44

Por Adagoberto F. Baptista

Alunos de Moda fazem máscaras para doação

Da Agência Anhanguera

Fotos: Divulgação

Os alunos do curso de Moda, do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), campus Maria Auxiliadora, começaram a produzir máscaras de proteção para serem doadas à população em situação de vulnerabilidade em Americana e Santa Bárbara d´Oeste, como contribuição às medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Além disso, um lote de 250 unidades, será destinado à Polícia Militar e Guarda Civil das duas cidades. As peças estão sendo confeccionadas nos laboratórios da instituição, seguindo os parâmetros do Ministério da Saúde e cumprindo todas as medidas sanitárias para a segurança dos envolvidos na ação.

A cada seção, serão confeccionadas cerca de 150 unidades e, para evitar aglomerações, estão sendo utilizadas apenas 15 máquinas por período, colocadas à distância mínima de dois metros entre elas. Serão disponibilizados também álcool em gel e máscaras aos participantes da confecção.

“O momento pelo qual passamos exige ações de todas as áreas. Com essa iniciativa, além de ajudar na contenção da transmissão do vírus, mantemos fiel nosso compromisso salesiano com a solidariedade e a caridade. Tudo isso com atividades relacionadas à área para qual os alunos estão se formando, o que demonstra uma preocupação humanística e cristã”, explica o diretor de operações do Unisal Americana, Marcelo Augusto Scudeler.

Para desenvolver a atividade, o Unisal está fornecendo parte dos insumos, mas busca também parcerias para ampliar a quantidade que pode ser produzida. Para isso, está promovendo a arrecadação de tecidos e elásticos.

As máscaras serão confeccionadas, de acordo com nota informativa do Ministério da Saúde, com materiais que garantam a prevenção, como algodão, cotton (composto por 55% de poliéster e 45% de algodão) e TNT. Para informações e doações, o contato é [email protected] .

Assim que as unidades estiverem prontas, serão encaminhadas às comunidades, por meio de organizações não governamentais, órgãos públicos e associações de bairro.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista