Publicado 20 de Abril de 2020 - 9h25

Por Estadão Conteúdo

Augusto Aras

Divulgação/TSE

Augusto Aras

Após o presidente Jair Bolsonaro discursar para manifestantes que pediam intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília, neste domingo, 19, o Procurador-Geral da República Augusto Aras afirmou que o Ministério Público precisa "estar atento em defesa da nossa democracia para que se preservem as instituições do Estado brasileiro" e tem o compromisso de velar "pela ordem jurídica que sustenta o regime democrático".

"Precisamos estar atentos para que uma calamidade pública não evolua para modelo de estado de defesa ou de sítio, porque a história revela que nesses momentos podem surgir oportunistas em busca de locupletamento a partir da miséria e da perda da paz que podem resultar em graves comoções sociais", afirmou em nota que reitera discurso proferido na posse da nova direção do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG), na última sexta, 17.

O PGR afirmou ainda que o Ministério Público "não pode se dobrar a nenhum governo, mas, deve, sim, fortalecer o Estado brasileiro no universo dos Poderes que recebeu do constituinte de 1988".

Escrito por:

Estadão Conteúdo