Publicado 17 de Abril de 2020 - 9h06

Por Maria Teresa Costa

Para tentar aumentar o isolamento, o prefeito Jonas Donizette (PSB) anunciou que a partir de hoje, os guardas municipais e fiscais da Emdec estarão nas ruas

Wagner Souza/AAN

Para tentar aumentar o isolamento, o prefeito Jonas Donizette (PSB) anunciou que a partir de hoje, os guardas municipais e fiscais da Emdec estarão nas ruas

Campinas voltou a registrar ontem, pelo terceiro dia consecutivo, uma taxa de isolamento social de 48%, bem abaixo dos 70% recomendados pelo Centro de Contingência do Coronavírus, em São Paulo, para que o número de leitos disponíveis no sistema de seja suficiente para atender à população. Para tentar aumentar o isolamento, o prefeito Jonas Donizette (PSB) anunciou que a partir de hoje, os guardas municipais e fiscais da Emdec estarão nas ruas em ações de convencimento à população para ficar em casa.

“Se superarmos os 50%, possivelmente até o dia 22, poderemos pensar em um horizonte melhor, com uma possível flexibilização da quarentena”, disse. Se a cidade quer que mais atividades econômicas sejam liberadas para funcionar, a cidade terá que ter isolamento maior. Campinas chegou a registrar uma taxa de 57% no domingo, e caiu para 48% e vem mantendo esse patamar.

O secretário de Saúde, Carmino de Souza, disse que a recomendação de chegar a 70% é inatingível apenas com o isolamento social. “Para isso teríamos que ter lockdown (fechar tudo). No Estado de São Paulo, nenhuma cidade ainda tingiu os 70%”, disse ele.

Jonas informou que ontem o secretário de Relações Institucionais, Wanderley de Almeida, recebeu um grupo de comerciantes reivindicando a abertura gradual do comércio. O prefeito disse que, hoje, não tem uma resposta a esse pedido. "Estamos encaminhando uma discussão, vou tentar falar por segmentos e até o final da próxima semana fazer uma reunião com eles, para discutir a flexibilização, desde que haja um aumento do isolamento social”, disse.

Aumento

O prefeito avaliou que está havendo aumento de veículos nas ruas e que na periferia houve pequena redução, mas ainda longe do ideal. “É preciso que a cidade colabore que não vá com a família nos supermercados, que use máscaras, que não fiquem próximas nas filas, que fiquem em casa. Sem isso, não vamos conseguir conter a pandemia”, afirmou.

A Prefeitura tem feito um monitoramento do isolamento e os números, informou o prefeito, estão de acordo com os divulgados pelo Estado, que utiliza o Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP).

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras.

De acordo com o governo do Estado, o Simi-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Estado possa consultar informações agregadas sobre deslocamento nos 645 municípios paulistas. As informações são aglutinadas sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Escrito por:

Maria Teresa Costa