Publicado 20 de Abril de 2020 - 19h37

Por AFP

Os estados ocidentais de Jalisco e Michoacán, onde vivem cerca de 10% dos 120 milhões de mexicanos, começarão a partir desta segunda-feira (20) o isolamento social obrigatório para frear o avanço da COVID-19, endurecendo suas políticas em relação às do governo federal.

O governo de Michoacán, onde se encontra Lázaro Cárdenas, o porto mais importante do México, decretou o isolamento obrigatório e imporá trabalhos comunitários aos que não acatarem a decisão, declarou o governador Silvano Aureoles em uma mensagem divulgada nesta segunda.

Diante da indisciplina das pessoas que "continuam dando festas", a partir de "hoje começa em todo o território do estado de Michoacán no período de isolamento obrigatório", disse Aureoles.

A medida estabelece que apenas poderão sair de suas casas as pessoas que tenham que comprar comida, remédios, ir a centros médicos, bancos ou para ajudar pessoas mais idosas, menores ou incapacitados.

A polícia de Michoacán, estado onde vivem 4,6 milhões de pessoas, proverá ajuda alimentar entre a população mais necessitada, para facilitar o cumprimento da medida, disse Aureoles.

Os que não cumprirem a ordem, receberão advertências que vão desde multas até o isolamento obrigatório em 10 centros criados somente para isso, continuou. Também serão obrigados a confeccionar "máscaras e fazer a limpeza em hospitais e centros de saúde", entre outros trabalhos.

"Tomamos a decisão de que a partir desta segunda as medidas de isolamento social terão caráter obrigatório, e não as cumprir será multado, o que o poder público terá como meta fazê-los cumprir", afirmou Enrique Alfaro, governador de Jalisco - com 7,9 milhões de habitantes -, em um vídeo divulgado na noite do último domingo.

O México tem até o momento 8.261 casos confirmados do novo coronavírus, com 686 mortes. No país, o governo presidido por Andrés Manuel López Obrador, havia dito que não imporia nenhuma medida obrigatória.

Até agora somente as aulas foram suspensas, eventos culturais e esportivos foram cancelados e empresas não essenciais suspenderam suas atividades.

jg-jla/llu/bn/mvv

Escrito por:

AFP