Publicado 19 de Abril de 2020 - 20h17

Por Estadão Conteúdo

O presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social, Gustavo Montezano, detalhou o esforço fiscal da instituição para contribuir com o enfrentamento da crise em teleconferência promovida pelo Itaú BBA. Segundo ele, o esforço atualmente está nos setores aéreo, automotivo, varejo (excluído o segmento de alimentação), e elétrico. "Acho que estamos fazendo melhor uso possível do recurso público para crise", afirmou.

A intenção é liquidar operações para os setores considerados prioritários em maio. O banco ainda avalia incluir novos setores na lista de prioridades. Está sendo avaliada a inclusão de grandes empresas com relevância na economia, que estejam sendo afetadas pela crise.

O setor de saúde, apesar de estar sendo "sobredemandado", de acordo com Montezano, deve precisar de ajuda após a crise.

O presidente do BNDES destacou ainda o sucesso no financiamento de folhas de pagamento de empresas que tenham faturamento de R$ 360 mil a R$ 10 milhões. A estratégia tem a função de dividir o risco entre a iniciativa pública e privada.

Está em discussão ainda a adoção de linhas de microcrédito para companhias com faturamento inferior a R$ 360 mil. "O combate à crise é dinâmico. Acompanhamos a evolução e tudo pode mudar", afirmou.

Escrito por:

Estadão Conteúdo