Publicado 19 de Abril de 2020 - 9h37

Por Estadão Conteúdo

Os desafios da crise do novo coronavírus serão destaque na sexta edição da Brazil Conference at Harvard & MIT, evento realizado anualmente pela comunidade brasileira de estudantes em Boston, nos Estados Unidos, para promover o encontro com líderes do País. Pela primeira vez, o evento será por videoconferência e terá parceria do Estado, que fará a cobertura completa e exclusiva em suas plataformas.

A Brazil Conference at Harvard & MIT foi idealizada em 2014 por estudantes brasileiros de graduação em Boston para comemorar os 30 anos da redemocratização do País. A primeira edição foi no ano seguinte. O movimento nasceu com a intenção de estabelecer na cidade americana - reconhecido polo de conhecimento - uma base de discussão sobre os desafios e caminhos possíveis para o Brasil.

Desde 2015, já passaram pela Brazil Conference nomes como os empresários Warren Buffet e Jorge Paulo Lemann, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Dilma Rousseff, os ex-procuradores Rodrigo Janot e Raquel Dodge, ex-ministros como Ciro Gomes, Marina Silva, Armínio Fraga, Gilberto Gil, e ministros do Supremo Tribunal Federal, como Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes. No ano passado, o vice-presidente Hamilton Mourão também participou.

Consultores, empresários, analistas, estudiosos do Brasil e líderes internacionais também integram a lista de convidados.

Neste ano, os painéis online ocorrem do dia 22 até o início de maio e serão transmitidos pelo YouTube. Na programação, estão nomes como o prêmio Nobel de Economia em 2019, Michael Kremer. Para que a edição especial da conferência pudesse ser realizada, os 25 temas que seriam debatidos no evento presencial foram afunilados em cinco: desenvolvimento econômico, o papel do Estado, empreendedorismo e startups, desigualdade e política externa.

"Pensamos muito no presente e no pós-crise. Os temas têm muito a ver com o DNA da conferência, que é discutir soluções para os desafios do País", disse o copresidente da Brazil Conference e mestrando do MIT, José Renato Carvalho. "A discussão do papel do Estado ganhou novos ingredientes com a pandemia. A desigualdade faz o vírus ter um impacto mais severo."

"Essa parceria fortalece o empenho do Grupo Estado em promover o debate qualificado sobre os desafios e os caminhos para o Brasil, ainda mais num momento tão grave. As difíceis escolhas a serem feitas agora terão impacto nas próximas décadas e futuras gerações", afirmou o diretor de Jornalismo do Estado, João Caminoto.

Para o cientista político e pesquisador de Harvard Hussein Kalout, ex-secretário de assuntos estratégicos da Presidência da República no governo de Michel Temer e um dos idealizadores do evento, "a conferência se converteu em uma significativa plataforma de discussões dos principais projetos nacionais brasileiros".

Participam também desta edição o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), os ex-chanceleres Aloysio Nunes e Celso Amorim, o economista Persio Arida e o apresentador Luciano Huck, entre outros.

No painel de abertura, o ex-presidente do Banco Central Persio Arida debate com o economista Eduardo Giannetti a situação econômica no País durante a pandemia do novo coronavírus. No dia seguinte, o papel do Estado será tema de discussão entre a economista Laura Carvalho, a jurista Flávia Piovesan e a ex-secretária executiva do Ministério da Fazenda no governo Michel Temer, Ana Paula Vescovi. Executivos também debaterão o ambiente de startups no Brasil, com representantes de empresas como Loft, de compra, venda e reforma de imóveis, a General Atlantic, de private equity, e fundos como o Kaszek Ventures.

No dia 27, dois painéis sobre a relação entre a desigualdade e a covid-19. No primeiro, Michael Kremer, professor em Harvard, falará da pesquisa que o fez ganhar, ao lado do casal Esther Duflo e Abhijit Banerjee, o Nobel de Economia em 2019. Eles foram laureados pela "abordagem experimental para aliviar a pobreza global". Luciano Huck discutirá o mesmo tema com o deputado federal Felipe Rigoni (PSB-ES) e a diretora executiva da ONG Oxfam Brasil, Katia Naia. O apresentador é apontado como possível candidato a presidente do País em 2022 e tem ligação com movimentos de renovação - assim como o parlamentar.

A colunista do Estado Vera Magalhães vai mediar o painel que reunirá os ex-ministros Aloysio Nunes e Celso Amorim, o diplomata Rubens Ricupero e Hussein Kalout. No dia 7, a discussão será sobre os desafios dos Estados na crise, num painel que vai reunir os governadores João Doria (SP), Helder Barbalho (PA) e Renato Casagrande (ES). O debate será mediado pela editora executiva do Estado em Brasília, Andreza Matais.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo