Publicado 18 de Abril de 2020 - 22h27

Por AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste sábado que poderia ter "consequências" para a China se sua responsabilidade voluntária na pandemia de coronavírus fosse demonstrada.

"Poderia ter sido detido na China antes de começar e não foi", afirmou o presidente na Casa Branca durante sua entrevista coletiva diária sobre a epidemia.

"E agora todo mundo está sofrendo com isso", acrescentou.

Trump foi questionado se Pequim sofreria consequências pela pandemia que começou na cidade chinesa de Wuhan em dezembro e deixou mais de 157 mil mortos em todo o mundo.

"Se foi um erro, um erro é um erro ... mas se eles foram intencionalmente responsáveis, sim, deve haver consequências."

"Foi um erro que saiu do controle ou foi deliberado?", ele se perguntou. "Há uma grande diferença entre as duas coisas".

"Nos dois casos, eles deveriam ter nos deixado entrar", disse.

"Pedimos a eles que nos deixassem entrar logo no inicio. E eles não nos queriam lá. Acho que sabiam que era uma coisa ruim e estavam envergonhados".

"Eles dizem que estão fazendo uma investigação", acrescentou Trump.

"Então, vamos ver o que acontece com a investigação deles. Mas também estamos investigando".

O governo americano diz que não descarta que o novo coronavírus tenha saído de um laboratório de Wuhan, que estudava tipos de coronavírus em morcegos.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, rejeitou as reportagens da imprensa americana sobre essa hipótese, alegando que eles não têm "base científica".

Trump também expressou suas dúvidas sobre os números oficiais de mortes na China, onde o coronavírus causou 0,33 mortes por 100.000 pessoas.

"Esse número é impossível", disse o presidente republicano. "É um número impossível de alcançar."

Segundo os dados apresentados na conferência de imprensa, os Estados Unidos tiveram 11,24 mortes por 100.000 habitantes, enquanto na França foram 27,92 e na Espanha 42,81.

cl/acb/gma/rsr/lca

Escrito por:

AFP