Publicado 18 de Abril de 2020 - 17h37

Por AFP

O novo coronavírus causou pelo menos 157.539 mortes em todo o mundo desde que apareceu em dezembro, segundo um balanço estabelecido pela AFP com base em fontes oficiais, neste sábado às 16H00 de Brasília.

Desde o início da epidemia, mais de 2.289.500 casos de contágio foram registrados em 193 países ou territórios.

Este número de casos diagnosticados positivos reflete, porém, apenas uma parte do total de contágios, em função das diferentes políticas adotadas por cada país para diagnosticar os casos.

Em alguns, são contabilizadas somente os quadros mais graves.

As autoridades consideram que até o momento, pelo menos 502.600 pessoas foram curadas da doença.

Na véspera, às 16H00 de Brasília, 7.613 novos falecimentos e 85.045 infecções foram registradas em todo o mundo.

Nas últimas 24 horas, os países que registraram mais óbitos foram os Estados Unidos, com 3.084 vítimas fatais, o Reino Unido (888) e a França (642).

O número de mortos nos Estados Unidos, que registrou sua primeira morte ligada ao vírus no final de fevereiro, é de 37.659, enquanto o total de casos diagnosticados é de 716.883, sendo que 59.984 pessoas foram curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são Itália com 23.227 mortes e 175.925 casos, Espanha com 20.043 falecimentos (191.726 casos), França com 19.323 mortes (151.793 casos) e Reino Unido com 15.464 óbitos (114.217 casos).

A China continental (sem contar Hong Kong e Macau), onde a epidemia eclodiu no final de dezembro, tem um total de 82.719 pessoas infectadas, das quais 4.632 morreram e 77.029 foram completamente curadas. Nas últimas 24 horas, foram registrados 352 novos casos e nenhum óbito.

Desde o início da epidemia, a Europa registrou 100.505 mortes (1.136.742 infecções), Estados Unidos e Canadá 39.165 (750.063), Ásia 6.882 (160.468), Oriente Médio 5.465 (121.378), América Latina e o Caribe 4.384 (92.445), a África 1.052 (20.577) e a Oceania 86 (7.835).

Este balanço foi feito com base em dados das autoridades nacionais compilados pela AFP e com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

bur-rbj/jz/lca

Escrito por:

AFP