Publicado 18 de Abril de 2020 - 16h27

Por AFP

Cerca de 20 trabalhadores do palácio do presidente afegão Ashraf Ghani testaram positivo para o coronavírus, disseram duas autoridades à AFP neste sábado (18), mas até agora não há indicação de que o próprio presidente tenha sido infectado.

"Cerca de 20 pessoas estão infectadas com a COVID-19 no palácio presidencial. No entanto, isso é mantido em segredo para garantir que nenhum pânico seja causado", disse uma autoridade do governo.

Um segundo funcionário confirmou o número e disse que outras 12 pessoas do escritório administrativo do presidente também haviam contraído o vírus.

O porta-voz de Ghani, Sediq Sediqqi, não quis comentar, e encaminhou perguntas ao Ministério da Saúde, que também não comentou, dizendo que não revela a identidade dos seus pacientes.

Ghani, de 70 anos, iniciou recentemente seu segundo mandato como presidente e enfrenta várias crises, incluindo um debilitado processo de paz e um ataque à sua autoridade por seu amargo rival Abdullah Abdullah, que também assumiu a presidência.

Cabul está atualmente em um bloqueio de coronavírus, que as autoridades estenderam recentemente por três semanas, e todos os escritórios do governo estão fechados.

O Afeganistão registrou oficialmente apenas 933 casos de coronavírus, incluindo 33 mortes.

Mas a nação teve apenas acesso limitado a testes, e observadores temem que os números reais sejam muito maiores.

Ghani vive em um amplo palácio no centro de Cabul. Fotos oficiais recentes mostraram que ele usava máscara e luvas e fazia reuniões com autoridades pela internet.

bur-wat/sst/bn

Escrito por:

AFP