Publicado 17 de Abril de 2020 - 21h27

Por AFP

A NBA e o sindicato dos jogadores (NBPA) concordaram nesta sexta-feira que a liga vai reter 25% do salário quinzenal de cada jogador a partir de 15 de maio para enfrentar perdas econômicas devido ao possível cancelamento de jogos em decorrência do coronavírus.

Em um comunicado conjunto, ambos os lados relataram que concordaram "sobre o método para reduzir a compensação dos jogadores no caso de um cancelamento permanente dos jogos na temporada regular de 2019-20 ou dos playoffs devido à pandemia da COVID-19".

Os jogadores da NBA, que recebem seus salários divididos em quinzenas, começarão a ter retenções de 25% em cada pagamento, começando com o pagamento de 15 de maio.

A parte do salário correspondente a 1º de maio será recebida integralmente, como vem ocorrendo até agora.

Com o avanço da pandemia nos Estados Unidos, a NBA ainda não conseguiu determinar se os jogos desta temporada, suspensos desde 12 de março, poderão ser retomados e se os jogos precisariam ser cancelados para ajustar o cronograma.

As retenções acontecem com a previsão de que as partidas tenham que ser canceladas. O dinheiro retido permanecerá como um depósito de garantia e será devolvido integralmente aos jogadores no caso improvável de que todos os jogos restantes da temporada possam ser disputados.

Caso contrário, as equipes manterão uma porcentagem desse dinheiro com base no número de jogos que tenham que ser cancelados, uma decisão que a NBA não tomará até pelo menos maio, de acordo com o comissário Adam Silver.

No caso de cancelamentos, seria implementada uma cláusula de força maior, incluída no acordo coletivo com os jogadores, segundo o qual os salários poderiam ser reduzidos em até 1% para cada jogo cancelado.

A interrupção forçada de atividades devido a uma pandemia é considerada um evento de força maior, conforme estabelecido no contrato de trabalho.

De acordo com o jornalista da ESPN Adrian Wojnarowski, que pouco antes havia antecipado os termos do contrato, o sindicato informou os jogadores sobre a possibilidade de que até 15 de junho não será confirmado se haverá jogos cancelados.

Cada uma das 30 equipes da NBA ainda tem pela frente de 15 a 19 jogos para completar os 82 jogos da temporada regular.

A NBA está estudando um grande número de cenários para retomar a competição que vão de jogar sem público, seja nos mesmos estádios ou em campos de treinamento, até a possibilidade de concentrar franquias na mesma cidade para jogar os playoffs por lá.

As negociações entre a NBA e o sindicato estão em andamento há semanas. A mídia digital The Athletic informou na semana passada que a NBA propôs um corte de 50% nos salários a partir de 15 de abril. Já o sindicato disse que aceitaria apenas uma queda de 25% e a partir de 15 de maio.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de casos de infecções por coronavírus (mais de 686.000) e mortes (mais de 32.000), de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Escrito por:

AFP