Publicado 17 de Abril de 2020 - 19h27

Por AFP

O clube e campo de golfe Mar-a-Lago, residência de luxo do presidente americano, Donald Trump, na Flórida, dispensou temporariamente 153 funcionários devido à pandemia de coronavírus, segundo uma notificação enviada ao Departamento de Oportunidades Econômicas estadual.

"Cerca de 153 funcionários do clube foram colocados em licença não-remunerada", escreveu o departamento de relações públicas do clube ao departamento de empregos da Flórida, em carta datada de 27 de março e divulgada nesta sexta-feira pelo jornal local "Miami Herald".

O documento, ao qual a AFP teve acesso, assinala que se espera que "o fim das operações não-essenciais do clube e estas dispensas sejam temporários".

Os funcionários atingidos são, em sua maioria, manobristas, lavadores de pratos e faxineiros, entre outros. "Nenhum destes trabalhadores é representado por um sindicato", assinala a carta.

A informação é divulgada dias após a notícia de que o clube de golfe de Trump em Doral, a oeste de Miami, colocou em licença não-remunerada 560 funcionários.

Desde meados de março, mais de 22 milhões de pessoas pediram auxílio-desemprego, e, segundo o FMI, a economia americana irá encolher 5,9% em 2020.

lm/yow/lb

Escrito por:

AFP