Publicado 17 de Abril de 2020 - 15h37

Por Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse lamentar a saída do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. "Foi correto e republicano", afirmou Doria sobre a atuação de Mandetta.

O governador ainda afirmou, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, que conversou com o sucessor, o novo ministro da Saúde Nelson Teich, e desejou sucesso.

Segundo Doria, os índices de isolamento para São Paulo estão abaixo do recomendado pela equipe da Saúde do Estado e disse que irá manter a quarentena "exatamente como foi até aqui".

De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado, a porcentagem da população que aderiu à quarentena entre a quinta-feira, 16, e a sexta-feira, 17, ficou em 49%.

"O ideal é subir o índice de isolamento para 60%", disse Doria que chegou a colocar como ponto ideal 70%.

Doria afirmou conversou com o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, e disse ter escutado dele que "a pior coisa que ocorreu foi ter cedido ao apelo do setor privado para flexibilizar quarentena".

O governador de São Paulo disse também que deverá conversar com o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, sobre medidas contra a pandemia do novo coronavírus.

Escrito por:

Estadão Conteúdo