Publicado 17 de Abril de 2020 - 15h27

Por AFP

A companhia aérea chileno-brasileira LATAM Airlines anunciou nesta quinta-feira (17) que a redução de 95% de suas operações de passageiros anunciada em abril será estendida até maio devido à crise do novo coronavírus, que provocará um impacto mais profundo do que o esperado.

As restrições de saúde adotadas na maioria dos países onde voa e a queda na demanda das passagens, obrigaram a LATAM - maior companhia aérea da América Latina - a reduzir em 95% suas operações e até a cancelar todos os seus voos internacionais até 30 de abril.

"Após um mês e meio desde que diversos atores da indústria alertaram para a maior crise que o setor já sofreu, hoje podemos observar que os impactos são mais profundos e serão mais duradouros do que antecipamos inicialmente", afirmou o CEO da LATAM Airlines Group, Roberto Alvo, em comunicado divulgado pela companhia.

Alvo explicou que a LATAM "deverá redimensionar seus respectivos tamanhos e o modo como operam" para que continuem diminuindo seus voos por mais um mês.

Em maio, as operações domésticas da LATAM no Chile e no Brasil continuarão reduzidas a fim de manter uma conectividade mínima. Nas rotas internacionais, a companhia aérea espera operar seis frequências semanais entre Santiago e Miami, e três frequências entre São Paulo e Miami.

A LATAM retomará seus voos "na medida em que houver permissões de operação e que a demanda o justifique".

A companhia, nascida da fusão da chilena LAN com a brasileira TAM, voa para 145 destinos em 26 países, com presença direta em Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador e Peru. Possui mais de 42.000 funcionários e operava aproximadamente 1.400 voos diários, transportando mais de 74 milhões de passageiros ao ano.

msa/pa/yowaa/mvv

Escrito por:

AFP