Publicado 17 de Abril de 2020 - 13h58

Por AFP

A Eurocâmara se pronunciou, nesta sexta-feira (17), a favor da criação de "títulos de recuperação", uma forma de mutualização da dívida europeia para impulsionar a economia após a crise do coronavírus.

Por 395 votos a favor, 171 contra e 128 abstenções, os eurodeputados estimam que a recuperação econômica precisa desses títulos "garantidos pelo orçamento da UE", mas isso "não deve implicar a mutualização da dívida existente".

"Queremos que as despesas de cada Estado hoje sejam mutualizadas. Trata-se de mutualizar a dívida vinculada ao plano de recuperação", explicou o presidente da Câmara Europeia, David Sassoli, em entrevista coletiva.

A mutualização da dívida é uma linha vermelha para muitos países europeus, especialmente Alemanha e Holanda, e uma reivindicação de Itália, Espanha e França, os países mais afetados na UE pela crise do novo coronavírus.

A resolução também recomenda aos países do bloco criarem um regime europeu de seguro-desemprego permanente, bem como um Fundo de Solidariedade de pelo menos 50 bilhões de euros para apoiar os setores da saúde contra a COVID-19.

Durante a sessão plenária de dois dias, à qual a maioria dos deputados assistiu por videoconferência, o Parlamento também aprovou um pacote de ajuda de 3 bilhões de euros para comprar testes e fortalecer o setor da saúde.

"Pode ser usado para comprar equipamentos médicos, como máscaras e respiradores, para o transporte de material, ou a transferência de pacientes, a contratação de pessoal médico adicional (...) e a construção de hospitais de campanha", resume a Eurocâmara.

Os eurodeputados também aprovaram uma flexibilização dos fundos estruturais da UE ainda não usados, de modo que sejam mobilizados para aliviar os efeitos negativos da crise. Agricultores e pescadores também podem se beneficiar de medidas específicas de apoio.

mla-tjc/jz/mr/tt

Escrito por:

AFP