Publicado 17 de Abril de 2020 - 13h27

Por AFP

A Rússia reportou nesta sexta-feira (17) um total de 32.008 casos de COVID-19, 4.070 deles detectados nas últimas 24 horas, um novo recorde que levou o presidente Vladimir Putin a alertar que a situação traz "riscos muito altos".

Cerca de metade dos novos pacientes registrados nesta sexta-feira estão na capital russa (1.959). No total, 273 pessoas morreram, 41 delas nas últimas 24 horas.

"Os riscos de propagação da epidemia continuam sendo muito altos, não apenas em Moscou, mas também nas outras regiões russas", alertou Putin, em uma videoconferência com os governadores de várias regiões.

O presidente acrescentou que todas as regiões deverão se preparar para a epidemia, embora muitos governadores tenham indicado que não possuem material nem equipe qualificada.

Vladimir Sipiaguin, governador da região de Vladimir, próximo a Moscou, informou por exemplo que seu território de 1,36 milhão de habitantes dispõe apenas de 71 respiradores artificiais e da metade de especialistas em reanimação necessários.

Em resposta, Putin disse que os governadores estão lá "para superar os desafios".

Por sua parte, o prefeito de Moscou, Serguei Sobianin, anunciou nesta sexta-feira o fim da construção de um hospital nos arredores da capital com capacidade para 500 pacientes, levantado em poucas semanas, no estilo dos que foram construídos na cidade chinesa de Wuhan.

O hospital está pronto para receber seus primeiros pacientes a partir de segunda-feira.

A Rússia realizou mais de 1,7 milhão de testes de coronavírus, mas as autoridades reconhecem que até recentemente eram pouco confiáveis.

alf-ma-rco/jz/misaa

Escrito por:

AFP