Publicado 17 de Abril de 2020 - 12h57

Por AFP

Entardecer em Roma. No coração da cidade, em plena praça Navona, as notas de Morricone tocadas por um jovem guitarrista amenizam o longo confinamento italiano e ajudam a suavizar a solidão e a incerteza trazidas pelo novo coronavírus.

Convertido em ritual, graças às redes sociais, o concerto oferecido dos telhados de uma das mais belas praças da Europa por suas elegantes fontes barrocas, pelo talentoso estudante do Ensino Médio Jacopo Mastrangelo, é um bálsamo para a alma.

"É assustador ver a praça tão vazia", lamenta Jacopo em uma conversa com a AFP, ao se referir a um dos lugares mais visitados pelos turistas.

Agora, reina apenas um silêncio desolador.

"Temos medo. Toda Itália tem medo", diz o rapaz, que vai comemorar seu aniversário de 19 anos confinado, no dia 26 de abril.

Com sua música, Jacopo quer oferecer "um bálsamo para o coração" e enviar, assim, uma mensagem de solidariedade aos 60 milhões de italianos confinados em suas casas desde 12 de março passado.

Morador de um dos bairros mais nobres da cidade, o jovem iniciou seus espetaculares concertos tocando árias de Giacomo Puccini com sua guitarra elétrica.

Mas foi por sua impecável interpretação de Ennio Morricone e pelas notas de "Era uma vez na América", que ficou conhecido, depois que o pai publicou um vídeo no Facebook.

"Não esperava. A única coisa que esperava era que os que passeiam com seus cachorros, ou meus vizinhos me ouvissem de suas janelas", conta.

"A verdade é que vimos o vídeo com meu pai e era tão lindo, não só pela música mas pela vista, com a praça vazia, o pôr do sol, os pássaros que voavam. Um conjunto de elementos preciosos, e assim surgiu tudo", disse ele.

O sucesso foi tamanho que até a prefeitura o convidou para tocar, em 13 de abril, do terraço da sede administrativa local.

"Foi a própria prefeita (Virginia Raggi) que me ligou e me convidou para tocar da sede da prefeitura", contou.

Para essa apresentação, transmitida ao vivo pela página da prefeitura romana no Facebook como uma mensagem de esperança no futuro e nas novas gerações, ele escolheu várias peças de Morricone e "Nessun dorma", de Puccini.

"Mas uma coisa é tocar aqui com meu pai como único espectador, e outra, diante dos olhos atentos da prefeita. Estava muito nervoso", confessou essa nova estrela da música italiana.

bur-kv/mis/tt

Escrito por:

AFP