Publicado 16 de Abril de 2020 - 16h47

Por AFP

Quase 50 integrantes de um grupo de 1,2 mil camponeses de baixa renda peruanos que desafiaram a quarentena nacional e retornavam caminhando de Lima até seus povoados foram internados, após testarem positivo para Covid-19, anunciou o governo nesta quinta-feira.

"Um total de 47 pessoas desse grupo foram infectadas", informou o presidente Martín Vizcarra sobre os camponeses, que partiram na última segunda-feira de Lima rumo à região andina de Huancavelica, a 425 km, e interroperam ontem sua marcha, após um acordo com autoridades.

"Foi organizado o teste rápido de 1,2 mil pessoas da marcha e mais de 40 testaram positivo. Não iremos enviar nenhuma pessoa à sua região sem que tenha sido testada", declarou a ministra do Meio Ambiente, Fabiola Muñoz, ao canal ATV.

Os camponeses haviam chegado a Lima em busca de emprego, mas foram surpreendidos pela emergência sanitária decretada pelo governo, que suspendeu o transporte entre as províncias e ordenou o confinamento da população desde 16 de março. Desta forma, os integrantes do grupo ficaram sem recursos ou hospedagem e enfrentaram quatro semanas de penúria, que os levaram a tentar voltar para casa.

Os camponeses foram levados para um estádio de futebol da localidade de Matucana, a 74 km de Lima, para serem testados antes de embarcarem em ônibus rumo a Huancavelica e outras regiões do centro e sudeste dos Andes peruanos, onde cumprirão quarentena em hotéis.

Os infectados retornaram a Lima para darem entrada na Vila Pan-Americana, onde o governo criou um hospital para pacientes com Covid-19.

O Peru está sob quarentena, toque de recolher noturno e uso obrigatório de máscara de proteção, além de ter fechado suas fronteiras e o comércio até o próximo dia 26.

ljc/fj/llu/lb

Escrito por:

AFP