Publicado 16 de Abril de 2020 - 16h07

Por AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, avaliou nesta quinta-feira (16) que há aspectos desconhecidos na gestão por parte da China da pandemia do novo coronavírus.

"Não tenhamos essa espécie de inocência que consiste em dizer que foi muito mais forte", afirmou, em alusão à forma como a China gerenciou a situação. "Não sabemos e claramente aconteceram coisas que desconhecemos", afirmou Macron em entrevista ao jornal britânico Financial Times.

O presidente francês se soma, assim, às exigências de Washington e Londres, que exigem explicações ao governo de Pequim sobre a origem e o desenvolvimento da pandemia.

"Temos que examinar todos os aspectos e de uma forma equilibrada, mas não há dúvida de que tudo não pode continuar como se não tivesse acontecido nada e teremos que fazer perguntas difíceis sobre o aparecimento do vírus e sobre porque não pôde ser detido antes", declarou o ministro britânico das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab, em coletiva de imprensa após uma reunião por videoconferência do G7.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse, por sua vez, que o governo dos Estados Unidos está realizando "uma investigação exaustiva sobre (...) como o vírus se propagou, contaminou o mundo e provocou tamanha tragédia".

Oficialmente, o novo coronavírus surgiu no fim de 2019 em um mercado na cidade de Wuhan, onde são vendidos animais exóticos, como morcegos. O vírus de origem animal pode ter sofrido mutação e ter passado para o homem.

leb/cs/jg/jz/mb/mvv

Escrito por:

AFP