Publicado 04 de Março de 2020 - 15h23

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Reprodução de vídeo

Com apoio Guarda Municipal (GM), policiais civis de Paulínia prenderam na noite desta terça-feira (3) um assistente técnico de celular, de 36 anos, suspeito de roubar celulares de transeuntes na cidade e também no distrito de Barão Geraldo, em Campinas. Em menos de 15 dias, ele assaltou ao menos seis vítimas. Em um único dia, Rodrigo Luquerini dos Santos roubou quatro pessoas e em todos os ataques usou a mesma forma de execução.

O alvo dele eram pessoas distraídas na rua. Santos usava um Uno Vivace branco e sempre estava acompanhado de uma mulher. A namorada dele, uma desempregada de 28 anos, foi reconhecida em três dos roubos. Ela permanecia no veículo e foi indiciada pelo crime e a polícia vai pedir a prisão preventiva. “Desde o primeiro roubo, que nos foi fornecido detalhes do carro e do suspeito, passamos a apurar o caso e pedimos auxílio da Guarda para localizar o veículo”, disse o delegado assistente da delegacia de Paulínia, Felipe Rodrigues de Carvalho.

Em uma das ações, em Barão Geraldo, o ataque foi no dia 29 do mês passado, por volta das 18h, contra um estudante de 19 anos. A abordagem foi registrada pelo sistema de monitoramento de uma casa e o vídeo viralizou nas redes sociais, devido à agressividade de Santos.

Na imagem, a vítima está de bicicleta com uma sacola plástica em uma das mãos e está descendo a via, quando é fechado por um carro branco, em sentido oposto. O motorista para com o veículo no meio da rua e desce simulando estar com uma arma na cintura, por baixo da camiseta. O criminoso exige o celular da vítima que, assustada, tira o aparelho do bolso e arremessa no quintal de uma casa.

O ladrão fica nervoso e dá um soco na cara da vítima. Em seguida puxa a bicicleta e tenta colocá-la no veículo. Como não consegue, a joga no chão e volta para o jovem e dá outro tapa. O ataque foi registrado no 7º Distrito Policial (DP), que cruzou informações com a delegacia de Paulínia. “Todas as vítimas relataram que ele usava uma arma preta, mas não achamos”, disse Carvalho.

Segundo o delegado, Santos confessou os crimes e alegou que é usuário de drogas e roubava para trocar o aparelho por entorpecente ou vender em camelôs para usar o dinheiro com drogas. Conforme Carvalho, o técnico tem diversas passagens criminais, entre as quais constam tentativa de homicídio, lesão corporal, furtos, roubos e receptação.

Durante a elaboração da ocorrência, os policiais conseguiram junto a Justiça local mandado de busca, apreensão e prisão. Santos teve prisão preventiva decretada.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista