Publicado 04 de Março de 2020 - 15h20

Por Adagoberto F. Baptista

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: ????

A Prefeitura de Campinas oficializou na manhã desta quarta-feira (4), a contratação de 47 médicos residentes para o programa Mais Médicos Campineiro, que serão distribuídos em 17 das ….. unidades do município. Os médicos começaram na última segunda-feira, com carga de 60 horas semanais distribuídas em 40 horas de trabalho nas unidades (de segunda a quinta-feira), 8 horas de ensino (sexta-feira) e 12 horas de plantão (sábado e domingo). O programa funcionará como uma residência em saúde da família e o contrato com as equipes terá duração de dois anos. Os contratados terão bolsa de R$ 11 mil mensais. O valor é superior aos R$ 10 mil que eram pagos ao Programa Mais Médicos federal, que foi suspenso no ano passado.

Pela legislação aprovada, a Prefeitura pode contratar até 120 médicos, sem concurso público. Os médicos vão atuar junto às equipes de Saúde da Família do município, mas eles terão que ser supervisionados por professor, tutor e preceptor. A função deles é trabalhar na prevenção, promoção e atendimento à saúde, segundo o secretário de Saúde, Carmino Antonio de Souza. “Durante este período de residência, os médicos e médicas vão atuar 70% do tempo nas unidades básicas de saúde e 30% no Samu, nas UPAs e hospitais das entidades participantes”, disse o prefeito Jonas Donizette (PSB).

A contratação desta equipe foi graças a um convênio da Prefeitura com as universidades Unicamp, PUC e São Leopoldo Mandic. Trata-se de médicos recém-formados e que estão ingressando no curso especialização.

Outros 13 profissionais serão convocados assim que houver uma liberação do Ministério da Educação (MEC). Mais 60 médicos serão contratados em 2021, completando os 120 estimados pela legislação que instituiu o programa.

Das 17 unidades que vão receber os residentes, 14 terão três novatos. Do Joaquim Egídio e União de Bairro, dois em cada uma, e na Santos Dumont, apenas um. Carmino justifica a distribuição nas unidades a disponibilidades de tutores e preceptores e também a estrutura local.

Segundo Carmino, a contratação de residentes foi o meio encontrado para suprir a falta de médicos e estimular a especialização em Saúde da Família. Ele acredita que o valor pago da bolsa, de R$ 11 mil, sirva para atrair os profissionais. “Alguns dos residentes recebem bolsa de cerca de R$ 3,3 mil. A Prefeitura vai completar esse valor, ou seja, pagar a diferença do valor proposto, que é de R$ 11 mil. Essa diferença será paga direto na conta do médico”, frisou o secretário.

Atualmente, o salário de um médico contratado pela Prefeitura para o Saúde em Família, para 36 horas semanais, é de cerca de R$ 13 mil, foras os benefícios. Somente de alimentação, o bônus é de R$ 1 mil. Dos 47 residentes, apenas dois que não tem bolsa e vão receber da Prefeitura o valor integral do salário.

Unidades que vão receber residentes Quantidade

Ipaussurama 3

Integração 3

Joaquim Egídio 2

Sousas 3

Centro 3

O. Maia 3

são Vicente 3

São Bernardo 3

Carvalho de Moura 2

Stos Dumont 1

União de Bairros 3

Aeroporto 3

São Cristovão 3

Aurélia 3

Sta Barbara 3

Rosália 3

San Martin 3

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista