Publicado 06 de Março de 2020 - 10h36

Por Gustavo Magnusson

 Torcida Ponte Preta

Cedoc/RAC

Torcida Ponte Preta

A Ponte Preta vai jogar longe de Campinas a segunda partida decisiva contra o Afogados da Ingazeira-PE, pela Copa do Brasil. A definição aconteceu ontem após sorteio dos mandos de campo da terceira fase da competição. O evento foi realizado na sede da CBF, no Rio de Janeiro. 

O jogo de ida entre Ponte e Afogados acontece no Moisés Lucarelli, enquanto a partida de volta ocorre no estádio Valdemar Viana de Araújo, o Vianão, na cidade de Afogados da Ingazeira, a cerca de 2,5 mil km de Campinas. Embora tenha capacidade apenas para 3 mil pessoas, o local ainda atende às exigências do regulamento do torneio para esta fase. As datas e os horários dos duelos ainda não foram divulgados pela CBF, mas de acordo com o calendário da competição, as partidas desta fase devem acontecer entre os dias 10 e 19 de março. A tendência é que campineiros e pernambucanos se enfrentem nas duas próximas quintas-feiras (12 e 19).

Desta forma, a Macaca vai realizar três jogos consecutivos na cidade de Campinas antes de viajar para Pernambuco. A primeira partida contra o Afogados acontece no meio das partidas contra o Red Bull Bragantino, na próxima segunda-feira, às 20h, no Majestoso, e diante do Guarani, dia 16, no Brinco de Ouro. Na sequência do Dérbi 196, A Macaca segue rumo à Afogados da Ingazeira para decidir a classificação. Se eliminar o Afogados e chegar à quarta fase da Copa do Brasil, a Macaca vai embolsar R$ 2 milhões e ainda terá que encarar mais uma fase antes das oitavas de final, quando as 8 equipes que disputam a Libertadores entram na competição.

Enquanto se prepara para a maratona de jogos que se aproxima, o goleiro Ivan, da Ponte Preta, fica na expectativa de ser convocado hoje pelo técnico André Jardine para a Seleção Brasileira Olímpica. Por mais que existam chances de ser convocado por Tite à seleção principal, o arqueiro da Macaca mantém os pés no chão. "Para mim, é indiferente estar na seleção principal ou na olímpica. O importante é vestir a nossa tão prestigiada camisa da seleção", afirmou.

Ivan também comentou a presença do treinador de goleiros da Seleção, Taffarel, no Morumbi, no último domingo. Na ocasião, a Ponte Preta foi derrotada por 2 a 1 pelo São Paulo, mas o goleiro pontepretano fez pelo menos três defesas difíceis. "Fiquei sabendo que estava lá somente depois do jogo. Independentemente se ele foi observar o Tiago Volpi ou a mim, eu me senti muito privilegiado. Isso me trouxe sorte e pude fazer grande partida, mas trocaria todas essas defesas que eu fiz no jogo por um resultado positivo", disse Ivan.

Escrito por:

Gustavo Magnusson