Publicado 08 de Março de 2020 - 13h21

Por Da Agência Anhanguera

MP realiza audiência do transporte

Divulgação

MP realiza audiência do transporte

O Ministério Público Estadual em Campinas realiza na próxima sexta-feira (13), uma audiência pública para debater o sistema de transporte público e o edital de concessão do serviço, publicado pela Secretaria de Transportes em agosto passado e que acabou suspenso pela Justiça dois meses depois.

A audiência pretende dirimir dúvidas em relação ao processo, que foi suspenso por causa de contestações feitas tanto pelo Tribunal de Contas de Estado (TCE), quanto pelo Ministério Público.

Entre os questionamentos do Tribunal, estão, por exemplo, uma suposta falta de estudos e projetos que demonstrem viabilidade econômico-financeira e operacional da concessão. Além disso, haveria vícios econômicos que impediriam a correta elaboração das propostas.

O MP por sua vez. questionou que o novo sistema não chegou a ser debatido com a população como deveria.

Para o MP, a audiência pretende abrir diálogo entre usuários e a sociedade e coletar pontos que podem ser considerados “problemáticos” da concessão.

A concessão do sistema de transporte público de passageiros em Campinas deverá movimentar cerca de R$ 7,4 bilhões em 15 anos e exigir investimentos por parte da empresas, que chegam a R$ 870 milhões.

O novo modelo de transporte a ser implantado dividiu a cidade em seis áreas operacionais. Vermelho (região Norte), Azul Escuro (Noroeste), Azul Claro (Oeste), Verde (Sudoeste), Amarela (Sul), Laranja (Leste) e a chamada Área Branca, onde só poderão circular veículos não poluentes e que fará parte de uma das outras divisões. Essa área terá a delimitação de aproximadamente 3km2 e perímetro de 7km, na região central e no entorno. A expectativa é que circulem pela área, 339 desses veículos de energia limpa.

A nova licitação vai abranger também a operação do Sistema BRT - onde os ônibus circularão em corredores exclusivos e deverão ser equipados com Wi-Fi, além de sistemas eletrônicos de segurança e monitoramento.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera