Publicado 06 de Março de 2020 - 19h41

Por Carlo Carcani Filho

A torcida da Ponte Preta já se acostumou com as convocações de Ivan para a Seleção Brasileira. Goleiro titular da na disputa do Pré-Olímpico, ele ajudou o time a conquistar uma vaga nos Jogos de Tóquio-2020. Também foi chamado em agosto para a equipe principal, quando integrou o grupo que disputou dois amistosos contra Colômbia e Peru. Na ocasião, foi chamado porque o titular Alisson estava contundido.

O goleiro do Liverpool se lesionou novamente. Não joga hoje contra o Bournemouth, pelo Inglês, e nem na quarta-feira contra o Atlético de Madrid, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Por isso, ficou fora da lista anunciada ontem por Tite e abriu espaço para o retorno de Ivan.

A convocação é, de longe, a mais importante da carreira do goleiro pontepretano, já que os jogos contra Bolívia, na Arena Pernambuco, e Peru, em Lima, marcam o início da campanha da Seleção nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022. Mais do que isso, esses dois jogos serão de extrema importância para a sequência do trabalho de Tite à frente da Seleção Brasileira.

Muito cobrado pela imprensa na sequência de maus resultados nos amistosos realizados depois da conquista da Copa América, Tite precisa de uma largada convincente na luta por uma vaga no Mundial do Catar. Se perder pontos logo de cara, será ainda mais assombrado pelo fantasma de Jorge Jesus, que faz um trabalho excepcional no Flamengo, com quem tem contrato até maio.

Ivan vai viver esse clima pela primeira vez. Vai treinar e competir ao lado de grandes craques do futebol mundial em jogos das Eliminatórias, nos quais o Brasil terá a obrigação de vencer.

A convocação é um prêmio mais do que merecido para um atleta que jogou em alto nível desde que assumiu a condição de titular da Ponte, no Paulistão de 2018.

Responsável direto pela conquista de muitas vitórias e empates da Ponte desde então, ele teve seu trabalho reconhecido. A primeira convocação para jogos oficiais da seleção principal chega no início de sua terceira temporada pela Macaca. No domingo passado, Ivan não conseguiu impedir a derrota para o São Paulo. Mas, observado por Taffarel, treinador de goleiros da Seleção, ele fez três defesas difíceis e manteve sua equipe com chance de chegar ao empate até o final, além de ter evitado uma goleada.

Não é fácil chegar à Seleção atuando no Brasil. Por um time do Interior e que disputa a Série B, é bem mais difícil. Com dois anos de muita regularidade e grandes atuações, Ivan, merecidamente, chegou lá.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho