Publicado 07 de Março de 2020 - 9h57

Por AFP

Um cantil de porcelana que pertenceu ao imperador chinês do século XVIII Qianlong foi vendido por por EUR 4,1 milhões em um leilão em Bourges (centro da França).

Com todos gastos inclusos, a venda feita a um comprador chino que participou por telefone chega a quase EUR 4,94 milhões, segundo o comissário Olivier Clair, que classificou-a como uma "boa venda".

O cantil, em camafeu azul cobalto com fundo branco, conhecida como "Bianhu", foi queimado nos fornos do imperador Qianlong na segunda metade do século XVIII, contou Clair à AFP.

Ele tem a representação de um dragão imperial, com cinco garras, que busca a pérola sagrada. "Houve vários, mas é muito raro. A maioria desses objetos foram desviados do Palácio de Verão" por um corpo expedicionário franco-inglês em 1860, lembrou Clair.

"O cantil era usado por peregrinos chineses. Pouco a pouco, foi se tornando um símbolo decorativo, como a espada de consagração. É um objeto que interessa aos chineses, já que é seu patrimônio", explicou.

"Não sabemos como esse objeto chegou à França, só conhecemos sua história há três gerações. Pertencia a uma antiga família da indústria do papel, bem conectada politicamente no século XIX", afirmou o curador-avaliador.

As peças imperiais do período Qianlong são muito apreciadas. Uma tigela de porcelana rosa da família foi vendida por US$ 30,4 milhões em abril de 2018 na Sotheby"s em Hong Kong.

mam/hdu/lp/jhd/af/jvb/ll

Escrito por:

AFP