Publicado 06 de Março de 2020 - 12h17

Por Estadão Conteúdo

O índice de preços dos alimentos no atacado, da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), registrou queda de 2,08% em fevereiro. No acumulado do ano, o indicador apresenta baixa de 3,87%. "Com previsão dos meteorologistas de continuidade das chuvas para o mês de março, a tendência é de recuperação dos preços das frutas - que se apresentam com boa qualidade - com consequente alta para o consumidor. Temos, também, a possibilidade de aumento de preços no setor de verduras, que já apresenta qualidade inferior por causa do excesso de chuvas", informa a companhia, em comunicado.

Os setores que apresentaram baixa nos preços pesquisados em fevereiro foram os de pescados e de frutas. No segmento de frutas, houve forte recuo, acumulando queda de 9,94% nos dois primeiros meses do ano. Os outros setores apresentaram alta, com destaque para os de verduras e diversos, com aumento de 9,29% e 10,42%, respectivamente, informa a companhia.

A Ceagesp destaca que, no dia 10 de fevereiro, houve alagamento total do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), na zona oeste da Capital, com perda de parte dos alimentos estocados. "As atividades de comercialização foram retomadas aos poucos a partir do dia 12, o que prejudicou o volume comercializado no mês", comenta a Ceagesp.

Em fevereiro, o setor de frutas apresentou forte queda de 5,85%. As principais reduções ocorreram em: abacate (-67,7%), maracujá azedo (-43,6%), pera estrangeira williams (-23,7%), figo (-22,7%), limão taiti (-19,8%) e goiabas vermelhas e brancas (-15,0%). As principais altas ocorreram com maçã nacional fuji (14,6%), melão amarelo (13,9%), manga tommy atkins (9,0%) e pera estrangeira danjou (7,1%).

O setor de legumes registrou elevação de 2,72%. Os principais aumentos ocorreram com pimentão verde (37,1%), ervilha torta (30,2%), tomate cereja (27,3%), berinjela japonesa (23,6%) e cenoura (18,5%). As principais baixas se deram nos preços do pepino japonês (-32,2%), pepino caipira (-21,8%), pepino comum (-19,6%), inhame (-17,1%) e do cará (-16,2%).

O setor de verduras apresentou expressivo aumento de 9,29% no mês passado. As principais elevações foram registradas em: coentro (46,8%), couve (36,9%), erva-doce (32,5%), rúcula hidropônica (28,6%), rabanete (28,0%) e agrião hidropônico (26,6%). As maiores reduções ocorreram nos preços do brócolis ramoso (-13,8%), do milho verde (-7,2%), do moyashi (-5,5%) e do repolho (-5,2%).

O setor de diversos fechou o mês passado com alta expressiva de 10,42%. Os principais aumentos ficaram por conta dos ovos vermelhos (22,3%), da batata asterix (21,3%), dos ovos brancos (18,5%), do alho nacional (10,2%) e da cebola (9,7%). As principais baixas ocorreram nos preços do amendoim com casca (-6,0%) e do milho de pipoca estrangeiro (-3,2%).

O setor de pescados registrou forte queda de 5,08% em fevereiro. As principais reduções ocorreram nos preços do camarão ferro (-11,6%), da abrótea (-10,9%), do robalo (-8,8%), da pescada maria mole (-8,3%) e do cação congelado (-8,2%). As principais altas se deram nos preços da betara (12,1%), da cavalinha (8,1%) e da tilápia (6,3%).

Segundo a Ceagesp, o volume comercializado no entreposto de São Paulo totalizou 238.102 toneladas ante 247.266 t negociadas em fevereiro de 2019, queda de 3,7%, com destaque negativo para o setor de frutas, que recuou 6,3%, e de pescados, que perdeu 11,6% em volume. No acumulado do ano, o total comercializado é de 511.619 t ante 520.512 t no mesmo período de 2019, uma variação de -1,7%.

Escrito por:

Estadão Conteúdo