Publicado 06 de Março de 2020 - 9h07

Por Estadão Conteúdo

A Opep+ - formada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e por dez aliados que não pertencem ao cartel, incluindo a Rússia - atrasou a reunião prevista para esta sexta-feira em Viena, diante da resistência dos russos em aceitar um novo corte na produção coletiva do grupo, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Ontem, a Opep recomendou que a Opep+ fizesse um corte adicional de 1,5 milhão de barris por dia (bpd) em sua produção até junho, em resposta à epidemia de coronavírus, que tende a prejudicar a demanda pelo petróleo. Segundo a proposta, a Opep se responsabilizaria por uma redução de 1 milhão de barris e os aliados da Opep+, pelos 500 mil bpd restantes.

A Rússia, porém, insiste em estender o corte atual, sem implementar uma redução adicional, e aguardar até junho antes de considerar quaisquer restrições além das que já foram estabelecidas na reunião de cúpula de dezembro último, disseram as fontes.

"Eles (os russos) dizem que um corte mais profundo não é a resposta, que estamos sendo muito reativos", comentou um delegado da Opep.

Em vez de mais cortes, a Rússia propõe algum tipo de pacote de estímulo econômico, semelhante ao anunciado pelo governo chinês há algumas semanas, detalharam as fontes. Fonte: Dow Jones Newswires.

Escrito por:

Estadão Conteúdo