Publicado 05 de Março de 2020 - 19h27

Por AFP

Funcionários de saúde dos Estados Unidos fazem nesta quinta-feira (5) exames a bordo de um navio de cruzeiro parado na costa da Califórnia com quase 3.500 pessoas para determinar se há casos positivos de coronavírus a bordo.

No Grand Princess, do operador Princess Cruises, que interrompeu a viagem ao Havaí e voltou a San Francisco, viajou antes um homem de 71 anos que morreu depois de contrair o novo vírus, tornando-se o primeiro caso fatal na Califórnia.

A vítima, que fez a rota San Francisco-México-San Francisco, faleceu pouco depois de desembarcar. Outro passageiro está infectado.

As autoridades atrasaram o atracamento do navio, que está nos arredores de Monterrey.

O navio leva 2.383 passageiros e 1.100 tripulantes.

O governador Gavin Newsom disse na quarta-feira que 11 passageiros e dez tripulantes possivelmente estavam doentes.

"Neste momento, os Centros para o Controle e a Prevenção de Doenças (CDC), o Departamento da Saúde do estado da Califórnia e o gabinete de emergência do governador, juntamente com a Guarda Costeira estão trabalhando para determinar se o COVID-19 está presente no navio", destacou Mary Ellen Carroll, chefe do Departamento de Gestão de Emergências de San Francisco, em coletiva de imprensa.

"Estão sendo adotados os protocolos de testes no navio para aqueles passageiros e tripulantes que apresentaram sintomas parecidos aos da influenza ou que podem ter estado expostos ao vírus e isto está acontecendo hoje", acrescentou.

O governador declarou estado de emergência no estado, onde foram registrados mais de 50 casos.

Os testes foram levados por via aérea pela Guarda Nacional da Califórnia, disse à AFP seu porta-voz Jonathan Shiroma.

"Espera-se que os testes no barco levem várias horas e os kits serão transportados ao laboratório do CDPH em Richmond para obter resultados".

Não está claro quantas pessoas serão submetidas a estes testes de diagnóstico.

jz-jt/ll/mvv

Escrito por:

AFP