Publicado 05 de Março de 2020 - 18h47

Por AFP

O barril de Brent do Mar do Norte fechou nesta quinta-feira em seu nível mais baixo em dois anos e meio, com o mercado preocupado se a Rússia vai aceitar a proposta da Opep de reduzir ainda mais sua produção.

O barril de Brent para entrega em maio fechou com queda de 2,2%, a 49,99 dólares, um nível que não alcançava desde julho de 2017. Em Nova York, o WTI para entrega em abril recuou 1,9%, a 45,90 dólares.

Reunidos em Viena, os 13 membros da Opep propuseram nesta quinta-feira um corte drástico de 1,5 milhão de barris por dia até o final de junho de 2020 para enfrentar o acentuado declínio na demanda, devido à epidemia de coronavírus.

Esta recomendação deve ser aprovada na sexta-feira pelos 10 parceiros externos da organização, incluindo a Rússia.

"Embora a Arábia Saudita pareça ter convencido os outros membros da Opep a apoiarem essa decisão, a Rússia está cética", diz Robbie Fraser, da Schneider Electric.

Segundo maior produtor mundial de petróleo, atrás dos Estados Unidos e à frente da Arábia Saudita, Moscou baseou suas previsões de orçamento em um barril em US$ 42,4 e está satisfeito com o atual nível de preços.

Para os produtores russos, cada barril retirado do mercado implica uma diminuição na receita e o risco de transferir partes do mercado para os Estados Unidos, que inundam o planeta com seu petróleo de xisto.

dho/jum/myl/mr/ll/ll

Escrito por:

AFP