Publicado 05 de Março de 2020 - 14h47

Por AFP

A pré-candidata democrata à Casa Branca Elizabeth Warren, que chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto, anunciou nesta quinta-feira (5) o fim de sua campanha para se tornar rival do republicano Donald Trump em novembro.

"Hoje, suspenderei nossa campanha para presidente", disse a senadora progressista de 70 anos de Massachusetts, ao comunicar a decisão a sua equipe após os resultados decepcionantes das primárias partidárias.

"Posso não estar na corrida para Presidência em 2020, mas essa luta, nossa luta, não acabou", afirmou. "E nosso lugar nessa luta não acabou".

Warren deve falar com a imprensa em Massachusetts nesta tarde.

Com sua saída, a primária democrata será um duelo entre Bernie Sanders, senador de Vermont de 78 anos com ideias próximas à de Warren, mas ainda mais radicais, e o moderado ex-vice-presidente Joe Biden, de 77 anos, ganhador de 10 dos 14 estados na disputa eleitoral da "Superterça".

Última mulher entre os principais potenciais adversários de Donald Trump em novembro, Warren chegou a liderar algumas pesquisas no ano passado, mas nunca conseguiu formar uma ampla coalizão de apoio que se traduzisse em êxito nas urnas.

Warren não venceu nem uma das quase 20 primárias democratas realizadas até esta data e sofreu derrotas particularmente humilhantes em Massachusetts, estado que representa no Senado, e em Oklahoma, onde foi criada.

A decisão de Warren de abandonar a corrida foi anunciada um dia depois da do bilionário ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, que desistiu após decepcionantes resultados na "Superterça". Bloomberg deu seu apoio a Biden.

Fiel ao seu estilo, Trump opinou sobre a saída de Warren com um tuíte ironizando ela e Bloomberg - principal alvo de ataques da senadora nos recentes debates televisionados.

"Elizabeth "Pocahontas" Warren, que não ia a lugar nenhum, exceto contra Mini Mike, acabou de sair da Primária Democrática... TRÊS DIAS TARDE DEMAIS", escreveu o presidente.

"Ela tirou do Bernie, o Louco, pelo menos, Massachusetts, Minnesota e Texas", disse o presidente sobre os estados disputados na "Superterça". "Provavelmente, tirou a indicação (de Sanders)! Ele ficou em terceiro lugar em Massachusetts", acrescentou.

Segundo o "Times", Warren não pretende anunciar o endosso a nenhum dos dois.

Sanders disse ontem à imprensa que conversou com Warren.

A outra mulher na corrida pela indicação democrata é a representante pelo Havaí Tulsi Gabbard, de 38 anos, em último lugar e sem qualquer chance de deslanchar.

ad/gma/mr/tt/ll

Escrito por:

AFP