Publicado 05 de Fevereiro de 2020 - 16h32

Por Daniel de Camargo

Daniel de Camargo

Da Agência Anhanguera

[email protected]

FOTO: MATHEUS PEREIRA

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), entregou ontem um trecho com extensão de 1,4 km do Corredor BRT (Ônibus de Trânsito Rápido) Ouro Verde, na Avenida das Amoreiras, contemplando os bairros São Bernardo e Parque Industrial. Foram liberadas para circulação de veículos as faixas exclusivas para ônibus e demais pistas reformadas da via, entre o viaduto da Rodovia Anhanguera (SP-330) e a Avenida Prefeito Magalhães Teixeira, na altura da Marginal do Piçarrão.

Ao todo, aproximadamente 74 mil passageiros que utilizam 20 linhas (118, 121, 125, 131, 132, 133, 140, 141, 142, 153, 154, 161, 162, 163, 164, 213, 228, 317 e 404) diariamente serão beneficiados. O chefe do executivo destacou que as entregas são importantes para mostrar a população os resultados da obra. Durante a execução dos trabalhos, em momentos com utilização de maquinário pesado, os cidadãos só enxergam os transtornos promovidos naturalmente pelas intervenções.

"Estamos entregando um trecho importante do BRT. Quando eu era garoto, do São Bernardo pra frente praticamente não existia mais cidade. Hoje, não é mais considerado bairro e sim centro expandido. Campinas cresceu muito e uma obra como essa favorece as pessoas mais humildes", disse. A região conta com diversos polos geradores de tráfego, tais como os hospitais Mário Gatti e Do Amor, a Escola Municipal Profª Geny Rodriguez, o Oba Hortifruti e o Tenda Atacado; além de diversos comércios e agências bancárias. Esta é a sexta liberação de trechos dos Corredores BRT, totalizando mais de 11 km de corredores exclusivos do BRT abertos para circulação e cerca de 230 mil usuários beneficiados.

Secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro destacou que, em um primeiro momento, as faixas exclusivas do corredor serão utilizadas de forma expressa (sem paradas) pela linha 130 (Terminal Vida Nova / Terminal Central). "Antes da obra, o percurso levava, em média, em torno de 70 minutos. Agora, será feito em cerca de 40. É um ganho brutal na vida de quem faz esse deslocamento", comentou. Cerca de 2 mil passageiros que utilizam essa linha diariamente serão favorecidos. As outras 19 linhas de ônibus, que circulam no trecho liberado da Amoreiras, seguem utilizando as paradas atuais, com embarque e desembarque pela faixa da direita. Barreiro informou ainda que o segundo trecho que será entregue em 2020, deve ser no Corredor Campo Grande, a partir do cruzamento entre as avenidas Transamazônica e John Boyd Dunlop, na entrada do Jardim Garcia, até o Hospital e Maternidade da Pontifícia Universidade de Campinas (Puc) de Campinas. A liberação está prevista para março. "São quase 4 km de extensão", detalhou.

INTERTÍTULO: TRECHO LIBERADO

O trecho liberado é formado por seis faixas de rolamento no total, sendo quatro faixas expressas para os veículos em geral (duas faixas por sentido) e duas faixas exclusivas do sistema de transporte público coletivo (uma por sentido), junto ao canteiro central. As faixas por onde circulam os demais veículos receberam nova pavimentação asfáltica. A região também recebeu paisagismo no canteiro central. A sinalização viária foi totalmente revitalizada, tanto a vertical (placas), quanto a horizontal (solo).

As faixas exclusivas que integram o Corredor BRT Ouro Verde são executadas em pavimento rígido (concreto) e apresentam mais resistência ao fluxo intenso de veículos. A iluminação dos corredores é em LED, com a fiação subterrânea, o que garante mais segurança aos usuários do transporte público no período noturno.

Também será liberada para circulação a transposição da Amoreiras pela Avenida Francisco de Paula Oliveira Nazaré, no sentido Centro, que foi interditada durante as obras. A velocidade máxima permitida passa a ser 50 km/h, ao longo de todo o trecho. As estruturas metálicas das futuras Estações BRT Parque Industrial e São Bernardo, que integram o corredor, estão montadas. A etapa de acabamento será executada gradativamente. A região liberada para circulação integra o Trecho 1 do Lote 3 do Corredor BRT Ouro Verde, que vai ligar a região central até o Terminal Campos Elíseos, com 4,8 km de extensão. A empresa responsável pelas obras é a Compec Galasso. O valor total do lote é de R$ 66,5 milhões. No total, o Corredor BRT Ouro Verde tem 14,6 km de extensão. Jonas informou que, em breve, será dada continuidade no trecho no sentido bairro. Para tal, será concedida uma autorização da CCR AutoBan, concessionária responsável por administrar a Rodovia Anhanguera (SP-330).

BOX: DENTRO DO PRAZO

Jonas e Barreiro reforçaram que as obras devem ser entregues dentro do prazo previsto, em meados deste ano. Um decreto assinado pelo secretário em 27 de dezembro de 2019, foi publicado na edição de 22 de janeiro, do Diário Oficial, ampliado por nove meses o prazo de vigência de dois contratos com as empresas responsáveis pela implantação do BRT no Município. Ambos explicaram que a medida foi estritamente administrativa. O esforço para cumprir a meta, classificou Barreiro, é gigantesco. Já o chefe do Executivo elogiou que os consórcios foram firmados com quatro empresas que estão trabalhando muito corretamente. Cerca de 52% das obras do BRT campineiro estão concluídas. Dos 36,6 km de corredores, mais de 20 km já foram executados (77% do total) e outros 7,95 km estão em execução. Das 18 obras de artes, 16 estão em execução.

BOX: MAIOR OBRA PÚBLICA EM EXECUAÇÃO NO BRASIL

Segundo a Emdec, a implantação dos corredores BRT é a maior obra de mobilidade urbana já realizada em Campinas e a maior obra pública em execução no Brasil. A autarquia estima que 450 mil pessoas, residentes nos distritos do Ouro Verde e Campo Grande, serão beneficiadas diretamente. O BRT, composto por três corredores (Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral), totaliza 36,6 km de extensão e custará cerca de R$ 450 milhões. A obra terá 37 estações, seis terminais e 18 pontes e viadutos, incluindo a primeira ponte estaiada da cidade. Pelos corredores vão circular ônibus biarticulados. O BRT terá um sistema operacional inteligente: os ônibus não vão pegar sinal de trânsito fechado.

FRASE

" Além de resultar na modernização do transporte público, está aliada à revitalização de todo o espaço urbano”

Carlos José Barreiro - Secretário de Transportes e presidente da Emdec

Escrito por:

Daniel de Camargo