Publicado 06 de Fevereiro de 2020 - 5h30

Um aposentado de 65 anos matou a mulher, uma aposentada de 71 anos, a pauladas, anteontem de manhã, em Itatiba, e passou o dia todo velando o corpo. O crime só foi descoberto por volta das 23h, quando um dos filhos do casal estranhou o sumiço da mãe e foi na casa dos pais verificar o que havia acontecido. A tragédia teria ocorrido durante uma discussão sobre relacionamento. Edvaldo Ferreira de Souza, conhecido como seo Dema, foi preso em flagrante. Esse é o primeiro caso de feminicídio naquela cidade neste ano.

De acordo com o padre Edson Alves Irineu Magalhães, que era amigo e atende a família, o casal era muito conhecido dos moradores, uma vez que fazia um dos melhores salgadinhos da cidade e também eram moradores antigos no local. Isabel Ferreira dos Santos Souza era ministra da eucaristia na Paróquia Nossa Senhora da Penha, no bairro Dr. Luís de Matos Pimenta, conhecido como Cecap.

O casal estava junto há cerca de 40 anos e tinha dois filhos homens, já casados. Eles residiam em um sobrado, na Rua Antônio Borela, no bairro Porto Seguro. A polícia acredita que o crime tenha acontecido no começo da manhã e Souza passou o dia, trancado, com o corpo da mulher no quarto. Ele a colocou na cama e cobriu o corpo com um lençol. O rosto da vítima ficou desfigurado com os golpes.

Seo Dema relatou para a polícia que matou a mulher durante uma discussão sobre relacionamento, mas não se lembra como fez, já que teria sofrido um apagão após os golpes. O idoso usou um pedaço de pau de cerca de 70 centímetros para agredir a companheira. Segundo ele, o objeto ficava no quarto para sua proteção.

Padre Magalhães contou que nos últimos 12 meses, o aposentado vinha apresentando alteração no comportamento, com transtorno mental. O homem, inclusive, era acompanhado por uma equipe de médicos que havia recomendado uso de remédios controlados. "Ele estava irredutível e agressivo nos últimos três meses e não queria tomar a medicação. Em razão dessa resistência dele, o casal começou a discutir, mas eram muito unidos. Sempre andavam juntos. Eram religiosos e sempre ajudavam na igreja, com limpeza e tudo" , disse o padre.

Um dos filhos mora nos fundos do imóvel e ele e a mulher dele passaram o dia no trabalho, sem perceber nada de diferente com os pais dele. No final do dia, o filho contou para a polícia que foi para casa e depois seguiu para a igreja, onde foi atendido em uma consulta espiritual pelo padre.

Ao voltar para casa, percebeu que o imóvel estava fechado e com as luzes apagadas e pensou que os pais tivesse seguido até Jundiaí, para fazer compras, como o habitual. Ele então seguiu com a esposa até a rodoviária da cidade em busca dos pais, mas encontrou o local fechado e voltou para casa. Foi então que encontrou o pai, que disse apenas que havia matado a mulher. O filho trancou o portão da casa, correu para a rua e ligou para a polícia. O idoso seguiu ao lado do corpo da mulher, até o momento de ser preso.

Segundo padre Magalhães, a alteração de comportamento do aposentado começou a ser observada depois que ele passou a relatar que estava sofrendo perseguições.

O velório de Isabel ocorreu na paróquia, com uma missa, e o corpo foi enterrado na tarde de ontem, no Cemitério Municipal de Itatiba.