Publicado 06 de Fevereiro de 2020 - 5h30

Placas do Mercosul começam a circular com mais frequência pelas ruas e avenidas de Campinas. Formado por sequência de quatro letras e três números, o modelo surgiu como opção segura contra fraudes e permite mais de 450 milhões de combinações. Considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, a expectativa é de que a nova combinação valha por mais de 100 anos.

As novas Placas de Identificação Veicular (PIV), no padrão Mercosul, começaram a ser instaladas no Estado de São Paulo no último dia 31 de janeiro, seguindo a determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e do Departamento de Trânsito de São Paulo (Detran-SP).

O novo padrão substitui a placa cinza, mas só precisa ser instalado no emplacamento de carros novos e em outras cinco situações que a lei exige troca. Veículos que permanecerem com seus proprietários em seus atuais municípios poderão continuar portando a chapa atual por tempo indeterminado.

As placas vêm com QR Code. Com isso, a fiscalização terá acesso rápido a todas as informações sobre o veículo. As autoridades de trânsito poderão, por exemplo, acessar instantaneamente dados do veículo e verificar se há alguma clonagem. O cidadão também pode fazer a leitura, mas é preciso cadastro no site do Departamento Nacional de Trânsito para acessar as informações.

Nesta semana, a empresária Maria Aparecida Nalie fez a troca das placas de seu veículo por conta da mudança de município na documentação. Seu carro estava com placas de Campinas e foi feita a transferência para Valinhos, onde reside. "É melhor este tipo de placa porque tem o QR Code e garante mais segurança. É até mais bonita", comentou.

A atendente de farmácia Laiza Fernandes fez também a transferência de sua motocicleta de Paulínia para Campinas. "Gostei da placa Mercosul porque fica mais complicado para as clonagens", afirmou.

Quem deve usar

A placa Mercosul é exigida nos casos de primeiro emplacamento (veículo zero km) e de mudança de município ou de Estado.

Outros quatro casos exigem também a colocação da placa Mercosul: alteração de categoria (exemplo: de veículo particular para de aluguel); para casos de furto, roubo, extravio ou dano na placa; quando o veículo for reprovado em vistoria veicular nos procedimentos de transferência com observações sobre a placa e/ou lacre (exemplo: placa não refletiva); e quando se fizer necessário a segunda placa traseira.

Quem tiver intenção de trocar a placa cinza para a placa do Mercosul poderá fazer de forma voluntária, sem problemas. Terá apenas que ir até ao Detran-SP e mudar a documentação, pagando as taxas normais.

O proprietário do veículo precisa ir até uma unidade do Detran (no caso de Campinas é no Campinas Shopping) para fazer o Certificado de Registro de Veículo (CRV) com documentos exigidos e pagar taxas previstas. Com o documento do Detran-SP em mãos, a pessoa deve ir às emplacadoras autorizadas.

Em Campinas, as empresas autorizadas a realizar o emplacamento dos novos modelos estão nos seguintes endereços: Avenida Sebastião Cury, 525, Parque da Figueira, e na Avenida Antônio Francisco de Paula Souza, 3544, Jardim Von Zuben. Quem quiser pesquisar outras localidades poderá ver no site do Detran-SP uma relação das emplacadoras autorizadas identificadas como parceiras (www.detran.sp.gov.br ).

Preço

[TEXTO]O Detran-SP informou que p[/TEXTO]rocedeu pesquisa de preço para a implantação da placa Mercosul, chegando a valores máximos, que devem servir como referência tanto ao fornecedor, quanto ao consumidor. Os valores máximos são: par de placas de identificação de carros, ônibus e caminhões, valor equivalente a R$ 138,24. E para a placa avulsa ou de identificação de motocicletas, valor equivalente a R$ 114,86.

A PLACA MERCOSUL É EXIGIDA NOS CASOS DE:

4 Primeiro emplacamento (veículo zero km);

4 Mudança de município ou de Estado;

4 Alteração de categoria (exemplo: alteração de veículo particular para categoria aluguel);

4 Casos de furto, roubo, extravio ou dano na placa;

4 Quando o veículo for reprovado em vistoria veicular nos procedimentos de transferência com observações sobre a placa e/ou lacre (exemplo: placa não refletiva);

4 Quando se fizer necessário a segunda placa traseira.

Características

4 4 letras

4 3 números

4 Cor de fundo branca

4 Bandeira do Brasil

4 QR Code

Significados das cores das letras e dos números:

4 Preta: veículos de passeio

4 Azul: carros oficiais

4 Verde: veículos para testes

4 Vermelha: veículos comerciais

4 Prateada: carros de colecionadores

4 Dourada: carros diplomáticos