Publicado 06 de Fevereiro de 2020 - 10h29

Por Carlos Rodrigues

Em boa fase e com apenas um desfalque, o Guarani visita o Oeste amanhã à noite, em Barueri, pela 5ª rodada

David Oliveira/Guarani FC

Em boa fase e com apenas um desfalque, o Guarani visita o Oeste amanhã à noite, em Barueri, pela 5ª rodada

Thiago Carpini deve contar com praticamente força máxima para o jogo do Guarani contra o Oeste, amanhã, na Arena Barueri, pela 5ª rodada do Paulistão. Com as liberações de Marcelo e Thallyson do departamento médico, além de Lucas Crispim, já plenamente recuperado de um entorse no tornozelo esquerdo, o técnico deve ter como única baixa o meia Giovanny, ainda em tratamento de uma lesão de grau dois na coxa esquerda e que tem possibilidades de retornar aos treinos na semana que vem.

A formação titular será definida hoje, no último treino para o jogo, mas tudo indica que a única novidade na equipe será a presença de Lucas Crispim. O meia até foi relacionado na vitória sobre o Santo André, mas não foi aproveitado. Dessa vez, deve voltar ao time na vaga de Bady. Por outro lado, Marcelo e Thallyson ficam como opções no banco para os titulares Deivid e Bidu, respectivamente. O zagueiro Bruno Silva, que chegou a se ausentar de uma das atividades na semana, treinou normalmente ontem e a tendência é de que jogue.

Com mais peças à disposição, a disputa por um lugar no time fica ainda maior e o fato é comemorado pelos jogadores. "Sem sombra de dúvida, é muito melhor para o Guarani. Mesmo que tenhamos algum jogador machucado ou suspenso, quem entrar vai manter a estabilidade e o padrão. Esse é o diferencial de uma equipe que conquista coisas", destaca o lateral-direito Pablo, que agora tem a concorrência na direta de Cristovam. "É mais um ganho para a equipe. Estou bem adaptado na lateral em termos de marcação, apoio, mas sei que tenho que melhorar algumas coisas".

Quem tem aproveitado as oportunidades é Igor Henrique. Desfalque do time no início do campeonato, o volante ganhou uma chance e parece ter conquistado a posição. "É uma disputa boa e essa dor de cabeça a gente deixa para o Carpini. Quem está jogando, precisa lutar para não dar espaço a quem está de fora. Que continue assim. É bom para o grupo", analisou.

Por falar em grupo, o ambiente no vestiário também é bastante valorizado pelos atletas. Com o clima leve, a expectativa é de que os bons resultados continuem a aparecer.

"Todo mundo está vendo as comemorações dos gols. O grupo está fechado. Quando sai o gol, todo mundo sente o momento, seja zagueiro ou atacante. Isso mostra claramente como é o ambiente", ressalta Pablo. "Sem dúvida, um melhores grupos que eu já trabalhei. Isso nos deixa cada dia mais motivados".

Escrito por:

Carlos Rodrigues