Publicado 05 de Fevereiro de 2020 - 12h02

Por Adriana Giachini/Especial para a AAN

Christian Hosoi, de 52 anos, em ação no projeto Feras do Skate, do Sesc: norte-americano patrocina equipe feminina e elogia as atletas brasileiras

Allison de Carvalho/Divulgação

Christian Hosoi, de 52 anos, em ação no projeto Feras do Skate, do Sesc: norte-americano patrocina equipe feminina e elogia as atletas brasileiras

Entre as cinco novas modalidades esportivas anunciadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para a edição de Tóquio, a ser realizada este ano, o skate promete ser a mais polêmica. Afinal, desde que foi confirmada como olímpica, a modalidade vem atraindo debates de admiradores e praticantes sobre pontos positivos e negativos da novidade. A principal preocupação é evitar que o esporte perca sua essência.

“Algumas pessoas acham que a Olimpíada poderá mudar o skate, mas na verdade será o contrário”, garante Christian Hosoi, um dos maiores nomes do esporte. Aos 52 anos, o norte-americano — conhecido pela rivalidade com Tony Hawk com o qual elevou o skate a um nível nunca visto, especialmente na década de 80 — esteve em Campinas no último domingo, no projeto Feras do Skate, do Sesc.

“O mais importante com a inclusão na Olimpíada é que, a partir de agora, pessoas de todos os países terão a oportunidade de conhecer e de entender mais sobre o skate. É um esporte que vai muito além de treinos ou competições. É algo de coração e alma”, diz Hosoi, que ainda acrescenta. “Quando eu era criança, eu assistia aos filmes do Bruce Lee e queria ser como ele. Aí conheci o skate e pensei: 'quero ser o Bruce Lee desse esporte, ser o melhor do mundo'. Mas o sonho só existe a partir do conhecimento, do acreditar que é possível. Então vejo que a Olimpíada poderá acabar com a visão de que o skate é um esporte essencialmente americano. Aí qualquer país poderá ter rampas para que as crianças possam sonhar como eu sonhei.”

O criador de manobras famosas como Christ Air e Rocket Air defende uma evolução da modalidade a partir da atual geração de praticantes e competidores. “Os truques estão mais difíceis, as companhias são maiores, a indústria está maior, assim como a popularidade do skate cresceu muito. Mas é algo que acontece e essa troca de gerações sempre vai existir.”

Campinas

Em Campinas, Hosoi foi recebido por uma plateia essencialmente masculina com representatividade de muitas gerações. Aos que o viram competir, respondeu sobre a carreira, falou das manobras que inventou, da rivalidade com Tom Hawk e até mesmo mostrou o primeiro modelo de skate que usou. “Na época esse era o melhor do mundo. Era reto e largo desse jeito”, brincou sobre seu skate de 1982.

Já aos meninos que, como ele, sonham ingressar na modalidade, recomendou determinação. “Seus filhos andam de skate?”, perguntou um dos integrantes da plateia. “Sim”, respondeu Hosoi. “Mas não sei se seguirão carreira. Aconselho que os pais apoiem seus meninos e meninas e não tenham preconceito. Nunca é tarde para conseguir o que se deseja. Invistam nos sonhos das crianças.”

Hosoi é conhecido defensor da inclusão das mulheres no skate. Ele, inclusive, patrocina uma equipe feminina, com destaque para a participação da brasileira Dora Varela. “As atletas brasileiras estão entre as melhores do mundo. Elas possuem paixão, coração e determinação, elas querem ser campeãs e não é em todo lugar que você tem isso.”

Programação do Sesc vai até o fim do mês

Christian Hosoi esteve no Brasil dentro do projeto Feras do Skate, do programa Sesc Verão. Além de Campinas, visitou também a unidade de Guarulhos. “Este ano, aqui em Campinas, nos concentramos em três modalidades: além do skate, a escalada e o basquete 3x3. A intenção é atrair os jovens para a prática esportiva”, explica o programador do Sesc, Daniel Veullieme.

Segundo ele, o programa aborda todos os esportes olímpicos, uma vez que este ano acontecerá mais uma edição dos Jogos. “Cada unidade recebeu atividades para três modalidades diferentes.”

Em Campinas, a programação segue aberta ao público até o final de fevereiro, no Galpão Multiuso. Hoje tem início o Skate Cine Sessões. O primeiro filme em cartaz é Made in Brasil 2, com direção dos irmãos gêmeos Diogo e Diego Ramos. Na sexta, será a vez do vídeo sobre o início da carreira de Anderson Tuca. A programação completa esta disponível no site do sesc, unidade de Campinas.

Escrito por:

Adriana Giachini/Especial para a AAN