Publicado 29 de Fevereiro de 2020 - 10h29

Por Gilson Rei

Policiais militares no pedágio da Rodovia Adhemar de Barros

Leandro Ferreira/AAN

Policiais militares no pedágio da Rodovia Adhemar de Barros

As rodovias que cortam a região de Campinas registraram cinco mortes e 233 feridos, em 254 acidentes, entre 21 e 26 de fevereiro - feriado prolongado do Carnaval 2020, período que totalizou um movimento de 3,2 milhões de veículos. Os números revelam que não houve mudança significativa nas estatísticas registradas no mesmo período do ano passado, que apresentou igual número de mortes e um volume de feridos e acidentes 2% inferior.

O levantamento feito pelo Correio tem como base os dados divulgados pelas cinco concessionárias da região - AutoBan; Rota das Bandeiras; Renovias; Colinas e Rodovias do Tietê. A AutoBan, que administra as rodovias Bandeirantes (SP-348) e Anhanguera (SP-330), registrou o maior movimento na região, com 959 mil veículos no período. Na sequência, a Rota das Bandeiras — que tem na região as rodovias Dom Pedro I e Zeferino Vaz — apresentou movimento de 860 mil veículos.

No Carnaval deste ano, a AutoBan registrou 119 acidentes, com 91 feridos e duas mortes. No Carnaval de 2019, as rodovias Anhanguera e Bandeirantes contabilizaram números semelhantes: houve a circulação de 941 mil veículos e houve 100 acidentes, com 43 feridos e duas mortes.

Além disso, as equipes do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) da CCR AutoBAn atenderam, no período, um total de 1.447 veículos em pane no Sistema Anhanguera-Bandeirantes, o que equivale a um atendimento a cada 6 minutos, em média. A maior parte foi de pane mecânica, com 989 atendimentos; seguida por 202 atendimentos por pneu furado e 115 atendimentos por pane seca (falta de combustível). Houve, ainda, 62 atendimentos por superaquecimento do motor; 40 casos de bateria descarregada; e 39 casos de pane elétrica.

O Corredor Dom Pedro contou com a passagem de 860.173 veículos durante seis dias de Carnaval. O movimento nas rodovias foi 2% acima do registrado em 2019. Durante o período, foram 31 acidentes, que resultaram em 23 feridos e uma morte, ocorrida na noite de sábado, dia 22, no km 21 da rodovia D. Pedro I, em Igaratá. Nos dois últimos anos, a concessionária também registrou um acidente fatal durante o Carnaval.

Houve um total de 1.259 atendimentos nos seis dias. Panes mecânicas foram o principal problema registrado, com 480 ocorrências.

O principal fluxo foi de 592 mil veículos na rodovia Dom Pedro I, que liga a Região Metropolitana de Campinas (RMC) às praias do Litoral Norte. A rodovia também tem importantes conexões com outras vias, como a Anhanguera, Fernão Dias e Via Dutra.

Na Rodovia Zeferino Vaz, entre Campinas e Mogi Guaçu, foram 131 mil veículos. Já na região de Jundiaí, a Eng. Constâncio Cintra (SP-360) teve a passagem de 110 mil usuários, enquanto a Romildo Prado (SP-063) registrou quase 27 mil veículos.

A Renovias contabilizou movimento de 133 mil veículos na pista Norte do Pedágio Jaguariúna na Rodovia Governador Adhemar Pereira de Barros. Houve o registro de 25 acidentes, com 17 vítimas leves e cinco graves. Durante os cinco dias, foram realizados 712 atendimentos aos usuários, incluindo serviços de guincho, socorro mecânico e atendimento pré-hospitalar. O Centro de Controle de Operações (CCO) atendeu 723 chamados.

Escrito por:

Gilson Rei