Publicado 07 de Fevereiro de 2020 - 9h51

Por AFP

Vinte civis morreram no sábado à noite em um "ataque jihadista" em Lamdamol, uma localidade no município de Bani, província de Seno, norte de Burkina Faso, afirmou uma fonte das forças de segurança neste domingo.

"Indivíduos armados não identificados atacaram o povoado de Lamdamol na noite de sábado, deixando 20 mortos entre a população civil", declarou a fonte à AFP, que afirmou que os agressores estavam de moto e "fortemente armados".

Outra fonte das forças de segurança, contatada pela AFP, confirmou o ataque jihadista e falou "de represálias contra os habitantes que haviam recebido a ordem, alguns dias antes, de deixar o local".

O ataque à população civil ocorre uma semana após outros ataques no norte e no centro-norte-leste.

Os ataques jihadistas em Burkina Faso, na fronteira com o Mali e o Níger, provocaram quase 800 mortes desde 2015.

Mal equipadas e mal treinadas, as forças de segurança de Burkina Faso não conseguem controlar a espiral de violência, apesar da ajuda militar estrangeira, especialmente na França.

Segundo a ONU, os ataques jihadistas no Mali, Níger e Burkina deixaram 4.000 mortos em 2019 e causaram uma crise humanitária sem precedentes e mais de 600.000 refugiados e deslocados que fogem da violência.

ab-ck/jpc/jvb/af/eg/aa

Escrito por:

AFP