Publicado 07 de Fevereiro de 2020 - 9h47

Por AFP

A Agência Antidoping da China (Chinada) decidiu suspender "temporariamente" seus controles "com o objetivo de proteger a saúde", devido à epidemia de coronavírus, a menos de seis meses dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 - informou a Agência de Controle Internacional (ITA), nesta segunda-feira (3).

A Chinada "retomará gradualmente suas atividades de controle tão logo a situação melhore", disse à AFP a ITA, com sede em Lausanne.

"Devido ao estado de emergência internacional decretado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a Chinada suspendeu temporariamente suas atividades de controle", informou a ITA.

Esta decisão chega a menos de seis meses dos Jogos de Tóquio, que serão disputados entre 24 de julho e 9 de agosto.

De acordo com o site da agência, a Chinada realiza cerca de 15.000 controles antidoping e análises por ano.

Grande potência esportiva, a China, terceira no quadro de medalhas dos Jogos do Rio-2016, dominado pelos Estados Unidos, tem grandes ambições para Tóquio-2020.

Questionada pela AFP, a Agência Mundial Antidoping (Wada) explicou que "acompanha de perto a situação" e que ajudará a Chinada no que for possível "para colocar em prática um plano que mantenha a integridade do programa antidoping na China".

O sistema antidoping "permite a flexibilidade e a cooperação entre as organizações antidoping, notavelmente as nacionais, as federações internacionais e as organizações de grandes eventos, para garantir que a integridade do programa seja mantido e que os atletas sigam sendo controlados da maneira correta, apesar da epidemia", completou a Wada, com sede em Montreal.

O programa antidoping anterior aos Jogos, de responsabilidade da ITA por meio do Comitê Olímpico Internacional (COI), dá uma importância especial à China, um país ambicioso e recorrentemente envolvido em casos de doping.

O nadador Sun Yang, estrela do país e tricampeão olímpico, suspenso por três meses em 2014 após dar positivo por uso de trimetazidina, corre o risco de receber uma punição de dois a oito anos longe das piscinas devido a um polêmico controle antidoping, no qual foi acusado de destruir uma amostra com um martelo. O veredito do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), maior instância jurídica esportiva, será divulgado nos próximos meses.

A ITA explicou também que tem "outros parceiros na China e avalia se outros controles poderão ser feitos nos próximos dias ou semanas, com algum provedor privado".

"É preciso ter prudência e não colocar em perigo nem os atletas, nem os delegados que administram os controles. Reconhecendo a importância das atividades antidoping, a prioridade agora é a saúde pública de todos", completou a ITA, encarregada dos exames antidoping de numerosas federações e competições internacionais.

Escrito por:

AFP