Publicado 07 de Fevereiro de 2020 - 9h45

Por AFP

A esposa do primeiro-ministro do Lesoto, Maesaiah Thabane, foi acusada nesta terça-feira de homicídio por seu suposto envolvimento no brutal assassinato da ex-mulher do seu marido.

Thabane, de 42 anos, passará a noite sob custódia depois de se entregar à polícia nesta terça-feira. Ela estava escondida desde janeiro.

"Foi acusada de homicídio com outras oito pessoas que estão no Lesoto e na África do Sul", informou o vice-delegado de polícia Paseka Mokete à imprensa em Maseru, a capital deste pequeno reino.

Mokete disse que a polícia tem "fortes evidências" contra a esposa do primeiro-ministro, que não compareceu ao tribunal por razões logísticas.

Thabane desapareceu no mês passado depois de ser convocada para testemunhar na investigação do assassinato de Lipolelo Thabane, a ex-mulher assassinada do primeiro-ministro Thomas Thabane.

O casal atravessava um divórcio turbulento quando Lipoplelo foi morta a tiros em frente à sua casa em Maseru em junho de 2017, dois dias antes de seu marido assumir o cargo.

Novas evidências surgiram no início de janeiro, com uma carta do chefe da polícia do Lesoto, na qual observa que o celular do primeiro-ministro aparece em gravações telefônicas do dia do crime.

Thomas Thabane cedeu à pressão e pediu demissão em uma data que ainda não anunciou. Ele também foi interrogado pela polícia sobre o homicídio.

O assassinato de Lipolelo Thabane, aos 58 anos, impactou o pequeno reino, que é totalmente cercado pela África do Sul e tem uma longa história de revolta política.

Alguns membros do partido no poder All Basotho Convention (ABC) acusaram o primeiro-ministro de impedir as investigações do assassinato.

O primeiro-ministro evocou sua idade avançada para renunciar.

str-sch/sn/dl/af/mb/mr

Escrito por:

AFP