Publicado 05 de Fevereiro de 2020 - 15h44

Por Estadão Conteúdo

Depois de registrar saídas líquidas de US$ 44,769 bilhões em 2018, o País fechou janeiro deste ano com fluxo cambial negativo de US$ 384 milhões, informou nesta quarta-feira, 5, o Banco Central.

No canal financeiro, houve saída líquida de US$ 1,518 bilhão no mês passado, resultado de aportes no valor de US$ 52,003 bilhões e de retiradas no total de US$ 53,520 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo de janeiro ficou positivo em US$ 1,133 bilhão, com importações de US$ 14,181 bilhões e exportações de US$ 15,314 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 1,845 bilhão em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 3,410 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 10,060 bilhões em outras entradas.

Semana

O fluxo cambial da semana passada (de 27 a 31 de janeiro) ficou negativo em US$ 374 milhões, informou o Banco Central.

Pelo canal financeiro, ocorreu saída líquida de US$ 2,134 bilhões, resultado de aportes no valor de US$ 9,626 bilhões e de envios no total de US$ 11,760 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 1,760 bilhão no período, com importações de US$ 3,921 bilhões e exportações de US$ 5,681 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 491 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 1,644 bilhão em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 3,546 bilhões em outras entradas.

Swap

Após o prejuízo de R$ 7,640 bilhões com as operações de swap cambial em 2019, o Banco Central registrou perda de R$ 7,615 bilhões em janeiro de 2019 com esses leilões pelo critério caixa.

Pelo conceito de competência, houve prejuízo de R$ 9,171 bilhões. O resultado pelo critério de competência inclui ganhos e perdas ocorridos no mês, independentemente da data de liquidação financeira. A liquidação financeira desse resultado (caixa) ocorre no dia seguinte, em D+1.

O BC obteve ainda um lucro de R$ 97,519 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no ano passado. Entram nesse cálculo ganhos e prejuízos com a correção cambial, a marcação a mercado e os juros.

Já o resultado líquido das reservas, que é a rentabilidade menos o custo de captação, ficou positivo em R$ 87,930 bilhões em janeiro. O resultado das operações cambiais no período ficou positivo em R$ 78,760 bilhões. Atualmente, as reservas internacionais estão próximas dos US$ 359 bilhões.

O BC sempre destaca que, tanto em relação às operações de swap cambial quanto à administração das reservas internacionais, não visa ao lucro, mas fornecer hedge ao mercado em tempos de volatilidade e manter um colchão de liquidez para momentos de crise.

Escrito por:

Estadão Conteúdo