Publicado 20 de Janeiro de 2020 - 5h30

Três capitais brasileiras, a começar por São Paulo, recebe uma exposição inédita do pintor e poeta Paul Klee. A mostra Paul Klee - Equilíbrio Instável reunirá 120 obras, entre pinturas, papéis, gravuras, desenhos e objetos pessoais do artista, selecionadas especialmente para o Brasil no acervo do Zentrum Paul Klee, de Berna (Suíça), Instituição responsável por zelar pelo trabalho de Klee e que reúne em torno de 4 mil obras produzidas pelo artista.. A exposição fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo, de 13 de fevereiro a 29 de abril, seguindo depois para as unidades do Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Paul Klee (1879-1940) marcou a história do modernismo nas artes plásticas no início do século 20. Apesar da nacionalidade alemã, Berna, na Suiça, foi a cidade onde Klee nasceu, viveu sua infância e para onde retornou em 1933, depois de um período em Munique, na Alemanha.A vinda dos 120 trabalhos do artista ao Brasil é patrocinada pelo Banco do Brasil e pela BB Seguros. Tem ainda o apoio da Cateno. A organização e produção do projeto é da Expomus, por meio da Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet. A exposição faz parte de um programa encampado pelo CCBB e que dá acesso ao público brasileiro, de forma gratuita e qualificada, a grandes acervos e coleções de arte nacionais e internacionais.O aspecto formador da mostra poderá ser experimentado nas propostas que serão desenvolvidas pela ação educativa do CCBB, com conteúdos acessíveis e diversificados para cada faixa etária. “Trata-se de uma oportunidade singular de apresentar ao público brasileiro, com entrada franca, um conjunto das mais criativas e inspiradoras obras de arte do século 20. Essa iniciativa reforça o compromisso do Banco do Brasil com a democratização do acesso à cultura e a formação de público para as artes”, afirma Alexandre Alves, diretor de Marketing do BB.“Disseminar a cultura oferecendo acesso gratuito da população à arte é o que nos motiva a viabilizar financeiramente projetos de grande valor histórico, como é a exposição de Klee. Esse é um patrocínio que nos enche de orgulho e uma amostra da importância que dispensamos ao fomento das artes e da cultura”, afirma Fernando Barbosa, presidente da BB Seguros.Pinturas, papéis, gravuras, desenhos e objetos pessoais de Klee percorrem a trajetória de um artista e pensador da arte que desenvolveu, ao longo de sua vida, um estilo próprio. “Paul Klee é um artista ao qual não podemos atribuir simplesmente um determinado estilo. ‘Eu sou meu estilo’, registrou ele de modo autoconfiante em seu diário, em 1902. A observação não estava errada”, explica Fabienne Eggelhöfer, curadora da mostra. “Paul Klee é uma das personalidades mais importantes da arte do século 20. Embora estivesse em contato com movimentos artísticos como o expressionismo, o cubismo, o dadaísmo e o surrealismo, ele sempre permaneceu independente. Sua arte é única e aberta a diversas interpretações. Ele foi um bom exemplo para as gerações de artistas que o sucederam, já que não propunha um estilo único e definitivo”, completa.Um dos atrativos da exposição brasileira é o conjunto de cinco dos fantoches produzidos por Klee para seu filho Felix, entre 1915 e 1925. Segundo a curadora, “Klee nunca manipulava os bonecos, deixando a brincadeira para seu filho, que entretinha a família e os amigos com seu talento cômico”.