Publicado 19 de Janeiro de 2020 - 5h30

O corpo de Anderson Pires do Nascimento, de 40 anos, que morreu afogado enquanto tentava salvar a filha no Rio Ribeira, no município de Iguape, no Litoral Sul de São Paulo, foi encontrado por volta das 2h40 da madrugada de ontem, boiando na praia próximo a desembocadura do curso de água.

A ocorrência foi atendida pelo Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBmar). Na tarde de ontem, o corpo foi reconhecido por meio das impressões digitais no Instituto Médico Legal (IML) de Registro. Na tarde da última quinta-feira, morreram afogados Maria Rita Farias do Nascimento, de apenas 9 anos, o motorista Jair Antunes Rodrigues, de 54, e o professor Alexandre Pereira, de 42.

Eles passavam férias na Praia do Leste. No grupo ainda estavam um adolescente de 16 anos, filho de Pereira, e outra menina de 11, filha de Nascimento, mas eles conseguiram escapar. Os amigos se banhavam e caminhavam no rio quando, em determinado momento, a garotinha caiu em uma vala. Os adultos tentaram socorrê-la. Porém, também acabaram caindo na depressão e não conseguiram se salvar.

De acordo com o GBmar, onde aconteceu a tragédia é afastado e considerado perigoso, pois a correnteza é costumeiramente forte. Moradores da região acionaram os guarda-vidas, avisando-os que pessoas estavam se afogando na foz. Pescadores encontraram os dois amigos e os retiraram da água. Quando os bombeiros chegaram, os banhistas já faziam reanimação cardiopulmonar nas vítimas.

Como a área é de difícil acesso às embarcações, Rodrigues, morador no bairro Quinhões, em Monte Mor, e Pereira, que residia no Jardim das Figueiras, em Hortolândia, foram levados separadamente para uma unidade de saúde da região de moto aquática. Ambos não resistiram. Já a menina foi achada somente na manhã de sexta-feira, a cerca de 300 metros do local da tragédia, numa área chamada de Batidão. Maria Rita Farias do Nascimento e Jair Antunes Rodrigues foram sepultados na manhã de ontem, em Hortolândia e Salto, respectivamente. Não foi possível confirmar onde Alexandre Pereira foi velado e sepultado. (Daniel de Camargo/AAN)