Publicado 06 de Dezembro de 2019 - 15h09

Por Daniel de Camargo

Daniel de Camargo

AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

FOTO: ARQUIVO (BRT, OBRAS DA SANASA E MATA DE SANTA GENEBRA) E LUIZ GRANZOTTO (COLETIVA DE IMPRENSA)

A Caixa Econômica Federal tem mais de 50 contratos vigentes com a Prefeitura de Campinas totalizando cerca de R$ 1,7 bilhão em financiamentos ou repasses. Somadas as contrapartidas municipais, o montante ultrapassa a casa dos R$ 2 bilhões. A informação é do gerente geral de filial e da gerência executiva de governo da CEF em Campinas, Carlos Eduardo Moreno Nucci. Na manhã de ontem, o gestor e o prefeito Jonas Donizette (PSB) assinaram três contratos de repasses de verbas de aproximadamente R$ 1,7 milhão. O valor, oriundo de emendas parlamentares do orçamento geral da União de 2019, será empregado na reforma do Mercado Municipal, obras de recapeamento e implantação de sinalização turística da Mata de Santa Genebra.

Nucci detalhou que dos mais de R$ 2 bilhões em investimentos, em torno de R$ 700 milhões correspondem a obras financiadas pela Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). Outros R$ 400 milhões foram destinados a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) para implantação do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido) no Município. O restante dos recursos é para empreendimentos de responsabilidade direta do Executivo.

Jonas destacou que neste ano recebeu em Campinas, o presidente da CEF, Pedro Duarte Guimarães, empossado em 3 de janeiro. "Foi um bate-papo muito bom", enfatizou. De acordo com o chefe do Executivo, Guimarães assumiu e cumpriu uma série de questões com ele, no que diz respeito a desburocratização de processos. "Os prefeitos geralmente pegam no pé da CEF. Mas, se tem uma norma, tem que seguir ou dá problema", disse. Para resolver entraves complicados, aconselhou Jonas, seus colegas devem procurar os mandatários das entidades.

INTERTÍTULO: NOVOS CONTRATOS

Ontem, na Sala Azul do Paço Municipal, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) assinou três contratos de repasse de verbas com a Caixa Econômica Federal. Agora, a Prefeitura tem até novembro de 2020 para apresentar e aprovar os referentes projetos junto à instituição. Depois da aprovação, ocorrem as licitações. Definidas as empresas vencedoras, as verbas são liberadas para a execução de obras e serviços. Pouco mais de R$ 482 mil serão investidos na reforma do Mercado Municipal, sendo repasse de R$ 477,5 mil por meio de emenda do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) junto ao Ministério do Turismo e R$ 4.830 em contrapartida municipal. Jonas destacou que se trata de um tradicional centro de compras de Campinas, dotado de bela arquitetura. Esse projeto será realizado em parceria com a Serviços Técnicos Gerais (Setec) e Secretaria de Infraestrutura. Os banheiros serão ampliados e melhorados. O prefeito frisou que o estacionamento será remodelado e terá sua capacidade de vagas dobrada, saltando de 100 para 200. Além disso, a alvenaria será recuperada e o espaço ganhará nova pintura geral. Jonas enfatizou que as melhorias já consideram que o fluxo de pessoas aumentará no local em decorrência da nova estação do BRT que está sendo construída e vai revitalizar aquela região do Centro.

INTERTÍTULO: AV. CARLOS GRIMALDI SERÁ RECAPEADA

Aproximadamente R$ 965 mil serão investimentos ao recapeamento da Avenida Carlos Grimaldi, uma via extensa, de grande volume de tráfego de veículos, inclusive ônibus. O valor do repasse é de R$ 955 mil por meio de emenda do deputado federal Gilberto Nascimento (PSC-SP) e a contrapartida é de R$ 9.559,60. A via corta vários bairros da cidade, como Jardim Bela Vista, Jardim Boa Esperança, Vila Madalena e Vila 31 de Março, dá acesso à Rodovia D. Pedro (SP-065), na região próxima ao Galleria Shopping. Por fim, será implantada sinalização turística na Mata de Santa Genebra. Jonas comentou que será nos mesmos moldes já realizados nas trilhas dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Ao todo, serão investidos quase R$ 251 mil, sendo R$ 248,3 mil de repasse por meio de emenda do deputado federal Evandro Gussi (PV-SP) e contrapartida da Prefeitura de R$ 2.550. A necessidade do serviço vem sendo apontada nas pesquisas feitas com os visitantes quando questionados sobre os pontos a serem melhorados no local.

Escrito por:

Daniel de Camargo