Publicado 08 de Dezembro de 2019 - 5h30

“Pai e professor cumprem um requisito importante na educação ao dispor de um tempo para montar um livro com a criança: a valorização. Mostram que acreditam nela, em suas capacidades e que ela pode chegar a grandes realizações na idade adulta.”

Projeto virtual compõe leque de outras ações

O aplicativo é utilizado em escolas como ferramenta em projetos pedagógicos específicos de cada instituição e de cada ano de ensino, conforme a idade dos alunos. Em algumas escolas, os livros produzidos são entregues em um evento, semelhante a um lançamento de livros, em uma Tarde de Autógrafos. Nestes eventos, pais e familiares reúnem-se com os filhos e com os professores da escola para que autografem os livros e sejam homenageados pelas obras escritas.

Outras escolas desenvolvem trabalhos pedagógicos, que transformam as redações dos alunos realizadas durante o ano em livros com a foto e um perfil resumido de cada aluno na edição. Várias formas poderão ser aplicadas, dependendo do projeto pedagógico de cada escola. A coordenadora pedagógica do Colégio Genius, Aline Fonseca Modesto, disse que o aplicativo é usado em projetos desde o Ensino Infantil e passa pelo Ensino Fundamental e Médio. “A escola tem vários projetos de incentivo à leitura e este aplicativo dos Pequenos Escritores complementa o leque de trabalhos desenvolvidos”, explicou.

Professores e coordenadores ajudam os menores a darem os primeiros passos rumo à literatura. (GR/AAN)

Startup oferece duas versões e soma dois mil escritores

A startup Pequenos Escritores conta hoje com duas versões de aplicativos: a corporativa, desenvolvida para ser utilizada em escolas; e a particular, utilizada pelos pais. Assim que o aplicativo foi desenvolvido, uma série foi implantada em algumas escolas e igrejas de Campinas e de Valinhos no final de 2018.

Atualmente, o aplicativo conta com mais de 2 mil crianças escritoras. Já a versão de aplicativo particular foi lançada há um mês e já existe procura entre pais e filhos que têm o conhecimento da novidade.

Apesar de ter seu escritório instalado em Campinas, a Pequenos Escritores já ultrapassou fronteiras, entregando livros também para crianças dos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e Rio de Janeiro. Prefeituras de alguns municípios já buscaram a startup para negociar a implantação do aplicativo em projetos pedagógicos de toda a rede escolar.

O link particular para usar o aplicativo não tem custo para a pessoa física e basta apenas comprar o livro impresso ou o e-book com a Kairós Edições, que atua em conjunto com a startup. Nas escolas, o link é adquirido via contrato e os pais dos alunos pagam pelos livros impressos ou pelo e-book. (GR/AAN)