Publicado 08 de Dezembro de 2019 - 5h30

Exemplo de generosidade e referência internacional no acolhimento de dependentes químicos no Brasil, o jesuíta e missionário americano Haroldo Joseph Rahm, o Padre Haroldo, era uma das mais importantes personalidades de Campinas. Aos cem anos, nos deixou no sábado, 30 de novembro, vítima de uma parada cardíaca, causando tristeza em todos os setores da sociedade. A história de sua vida mostra que desde muito cedo se pautou pela dedicação ao próximo. Nascido no estado do Texas, nos Estados Unidos, em 1919, iniciou seus trabalhos antes da Segunda Guerra Mundial, integrando obras de ação social com a missão evangelizadora. Desde jovem, o padre desenvolvia programas sociais com adolescentes que viviam na fronteira com o México. Chegou ao Brasil em 1964 e foi encaminhado para Campinas, onde fundou paróquias como São Paulo Apóstolo (Vila Itapura) e Nossa Senhora da Pompéia (Vila Pompéia). É dele também a iniciativa do Centro Social Presidente Kennedy (Vila São Bernardo), para incentivar a profissionalização dos jovens.

A semente para criação do instituto que leva seu nome em Campinas veio do trabalho do Padre Haroldo com as chamadas Casas Dia, unidades espalhadas pelo País para o amparo e cuidados a dependentes químicos. Entidade filantrópica, a Instituição Padre Haroldo Rahm surgiu em 1978 e até aqui contabiliza mais de 80 mil pessoas beneficiadas pela entidade em pouco mais de 40 anos. Em 1984, o missionário iniciou o movimento Amor-Exigente, hoje presente no Brasil, Argentina e Uruguai para oferecer apoio às famílias e desenvolver a prevenção ao uso de drogas psicoativas e álcool.

Usar a vocação missionária para levar conforto aos mais carentes, no sentido de aliviar o sofrimento das pessoas que convivem com a discriminação e que estão marginalizadas, foi uma das grandes marcas do religioso jesuíta. A história de sua vida está atrelada a de milhares de pessoas que contribuíram na construção de suas obras, foram beneficiadas por elas ou mesmo estiveram lado a lado com ele em sua importante e profusa missão. Ao longo de sua extensa e produtiva jornada, Padre Haroldo teve tempo ainda de escrever e publicar muitos livros, ministrar dezenas de cursos e receber diversos prêmios. Iluminado, sempre criativo, obstinado, amoroso, visionário e incansável são algumas das qualidades pelos quais o missionário é lembrado. Suas obras sociais seguirão beneficiando a muitos e como se costuma dizer na perda de alguém especial, “o céu está em festa”.