Publicado 08 de Dezembro de 2019 - 11h58

Por Gustavo Magnusson


Cedoc/RAC

Sem participar da montagem do elenco da Ponte Preta nesta temporada, o técnico Gilson Kleina espera que seu envolvimento direto na atual reformulação do elenco faça com que a equipe tenha a “sua cara" em 2020.

"Estamos tentando optar por uma equipe com mais intensidade, tanto na organização defensiva quanto na ofensiva. Nós precisamos ter mais jogadores que tenham maior pressão no homem da bola. Nós tivemos essa dificuldade neste ano. Tínhamos uma condição técnica até favorável, porém não tínhamos o dinamismo que o futebol pede hoje. O jogador também precisa ter a sua qualidade, não é só ter força e velocidade. Entendo que precisamos entrar no período moderno", explicou Gilson Kleina.

Além do perfil tático que pretende desenvolver na equipe, o comandante da Ponte Preta também prega a mescla da experiência com a juventude de atletas como o zagueiro Léo, de 19 anos, e o meia Vinicius Zanocelo, de 18, que vestiu a camisa da seleção brasileira sub-20 na última semana.

"Fico feliz pelo Zanocelo. É mais um jogador servindo a Seleção Brasileira e mais um bom trabalho sendo feito pela categoria de base da Ponte. Eu vejo ele como um atleta que pode ser versátil: meia-central, segundo volante ou meia pelos lados. O arremate de fora da área é uma das suas características. Ele vai se apresentar com a gente no dia 3 de janeiro. Ele não vai jogar a Copa São Paulo justamente para estar integrado a esta filosofia de trabalho. Que possamos extrair não só o melhor dele como também dos meninos que vão subir e estamos observando", projetou Gilson Kleina. (Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera)

Escrito por:

Gustavo Magnusson