Publicado 04 de Dezembro de 2019 - 10h21

Por Carlos Rodrigues

Ricardo Moisés afirma que planejamento para 2020 segue a todo vapor

Cedoc/RAC

Ricardo Moisés afirma que planejamento para 2020 segue a todo vapor

A decisão dos associados do Guarani pela manutenção do Conselho de Administração foi o fato definitivo para que o clube intensifique de vez o planejamento de olho na próxima temporada. Garantido no cargo até março de 2020, quando acontecem as eleições, o presidente Ricardo Moisés se reuniu ontem com o técnico Thiago Carpini e o superintendente de futebol Michel Alves e a expectativa é de que novidades sejam anunciadas nos próximos dias.

A assembleia da última segunda-feira foi marcada por algumas polêmicas no início, mas depois transcorreu normalmente. Dos 154 votos válidos, 86 foram contrários ao impeachment, enquanto 67 eram favoráveis à destituição. Houve uma abstenção. Assim, além de Ricardo Moisés, Carlos Queiroz, Gilberto Moreno, Marcos Lena e Assis Eurípedes de Oliveira seguem no comando do clube.

“Muito bom saber que os associados acreditam e apoiam essa gestão. A gente estava muito tranquilo porque os associados viram tudo que fizemos. Essa gestão já mostrou a que veio”, disse o presidente bugrino.

Sobre o planejamento para 2020, o dirigente garantiu que o trabalho continua a todo vapor.

“A gente tinha tamanha confiança na vitória que já estávamos trabalhando na montagem do elenco, tanto que apresentamos o superintendente e anunciamos a renovação do Deivid”, comentou.

Até o final da semana, o Bugre pretende confirmar algumas definições. A prioridade é resolver a renovação de jogadores que interessam para o ano que vem, casos de Lenon, Luiz Gustavo e Lucas Crispim. Depois, a tendência é pelo anúncio dos primeiros reforços.

Em relação aos que não continuam no clube, a lista continua aumentando. Depois do meia Rondinelly, anunciado pelo Santo André, o zagueiro Ferreira, os meias Felipe Amorim e Filipe Cirne, e o atacante Diego Cardoso também já se despediram. Diego terminou a temporada como artilheiro do Guarani. Em 31 partidas, o atacante, que estava emprestado pelo Santos, marcou 11 gols.

Escrito por:

Carlos Rodrigues